O comitê técnico terá a duração de até 180 dias - Itamar Crispim/Fiocruz
O comitê técnico terá a duração de até 180 diasItamar Crispim/Fiocruz
Por O Dia
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) pretende vacinar 65 milhões de pessoas no primeiro semestre de 2021 e, no segundo, outras 65 milhões, de acordo com Marco Krieger, vice-presidente de produção e inovação em saúde da Fiocruz. A orientação é de que a vacina seja aplicada em duas doses. A fundação tem acordo de transferência de tecnologia com a farmacêutica AstraZeneca, que desenvolve o imunizante com a Universidade de Oxford. Por isso, o medicamento também é produzido no Brasil. As informações são do portal “G1”.
A vacina produzida pela Fiocruz é uma das quatro que estão na fase 3 de testes no Brasil, além das da Pfizer/BioNTech, da Sinovac (CoronaVac), produzida no Instituto Butantan, e da Johnson & Johnson. Krieger explicou também que o protocolo previsto pela fundação vai permitir que o imunizante seja aplicado em 30% mais pessoas além do que havia sido previsto, em entrevista para a GloboNews.
Publicidade
Resultados preliminares divulgados nesta segunda-feira (23) indicaram que a vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford mostrou eficácia de 90% conforme a dosagem. Os dados, no entanto, ainda não foram revisados por cientistas nem publicados em revista científica.