O ministro Paulo Guedes - Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
O ministro Paulo GuedesMarcello Casal Jr/ Agência Brasil
Por iG
Brasília - O Ministério da Economia anunciou nesta sexta-feira (4) que encerrou seu vínculo com a agência de comunicação responsável por produzir a lista de jornalistas e formadores de opinião de acordo com o nível das críticas feitas à pasta e a seu comandante, o ministro Paulo Guedes. O documento classificava esses 77 nomes como "detratores", "neutro informativo" e "favoráveis". 
A pasta reconhece que procurou a empresa BR+ Comunicação para a prestação do serviço, mas antecipou em 27 dias o término da parceria que venceria no último dia do ano.
Publicidade
O serviço da empresa foi produzir um "mapa de influenciadores" em um pedido feito em junho deste ano. De acordo com o ministério, a pasta não sabia que seriam utilizados esse termos para se referir aos alvos. Já a agência disse em nota que os usos foram "um erro no processo" e pediu desculpas ao ministério e aos influenciadores.
O ministério afirmou que o "mapa" foi realizado apenas uma vez e custou R$ 36 mil aos cofres públicos.