Rodrigo Maia disse que precisa fazer um candidato "que garanta esse movimento firme, um movimento que garante à Câmara dos Deputados livre de qualquer interferência de outro poder" - Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Rodrigo Maia disse que precisa fazer um candidato "que garanta esse movimento firme, um movimento que garante à Câmara dos Deputados livre de qualquer interferência de outro poder"Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Por O Dia
O Supremo Tribunal Federal (STF) barrou, no último domingo (6), a recondução de Rodrigo Maia (DEM) e Davi Alcolumbre (DEM) à presidência da Câmara dos Deputados e do Senado, respectivamente, para um novo mandato. Nesta segunda-feira (7), em entrevista ao programa “Em Foco”, da “Globonews”, Maia voltou a afirmar que não tinha a intenção de se reeleger e que indicará um candidato para representar a independência do Legislativo. As informações são do portal “G1”.
O presidente da Câmara afirmou que é preciso, ao longo das próximas semanas, cuidar da pauta da Casa. Maia reforçou a necessidade de retomar votações importantes que estavam sofrendo os impactos do período eleitoral e da indefinição sobre a possibilidade de reeleição no Legislativo. “Ninguém votou a PEC emergencial”, afirmou, comemorando a volta do foco para as decisões.
Publicidade
Ao falar de sua sucessão, Maia disse que precisa fazer um candidato “que garanta esse movimento firme, um movimento que garante à Câmara dos Deputados livre de qualquer interferência de outro poder". Ele comentou que sempre respeitou as decisões do STF e que a impossibilidade de concorrer reforçou seu movimento para construir seu candidato.
Aguinaldo Ribeiro, Baleia Rossi, Eumar Nascimento, Luciano Bivar e Marcos Pereira foram os deputados citados pelo presidente da Câmara como possíveis nomes para sua indicação. Maia também afirmou que sua indicação não será contra o candidato do governo, Arthur Lira (PP-AL), ou outro grupo, mas à favor da democracia e do fortalecimento da Câmara.