Gonzalo Vecina, fundador da Anvisa: surpreso por dados não constarem do documento inicial - Reprodução/TV Cultura
Gonzalo Vecina, fundador da Anvisa: surpreso por dados não constarem do documento inicialReprodução/TV Cultura
Por iG
São Paulo - O fundador da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Gonzalo Vecina, participou do Jornal da Cultura nesta quarta-feira (06) e deu declarações polêmicas sobre a Covid-19 e, principalmente, relacionadas à cloroquina. Os vídeos com as falas de Vecina ganharam repercussão nas redes sociais.

A apresentadora do programa questionou o médico sobre o aumento de casos com a queda na taxa de isolamento social e se ele vê a possibilidade do Brasil fechar a economia.

Em resposta, Vecina deu o exemplo do lockdown imposto na Europa e disse que se o Brasil não fizer o mesmo não terá chances de diminuir os casos. "Isso (isolamento social) terá consequências econômicas? Terá. Mas salvará vidas que vão tocar a economia no momento seguinte", afirmou.

Depois, a apresentadora perguntou se essa opinião era um consenso entre os médicos. "Na minha área tem muito médico burro, que ainda dá cloroquina", respondeu o médico, arrancando a risada da apresentadora e da outra convidada. "É um consenso entre os médicos inteligentes", acrescentou.

As respostas de Vecina viralizaram nas redes sociais. "Eu simplesmente morri quando o médico disse isso", escreveu um dos internautas. "Gonzalo Vecina mandando a real! muito bom!", disse outra.

Eu simplesmente morri quando o médico disse isso: pic.twitter.com/tpE0SU59Xl

— bota a vacina por favorzinho (@busmmarcelo) January 7, 2021