Dimas Covas - Divulgação Governo de São Paulo
Dimas CovasDivulgação Governo de São Paulo
Por O Dia
São Paulo - O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, cobrou que o presidente Jair Bolsonaro defenda a Coronavac e pediu agilidade na viabilização da vinda de matéria-prima da China. O material é necessário para dar continuidade à produção do imunizante contra a Covid-19, o único que está sendo aplicado até o momento no país. A declaração foi dada em um evento com a participação do governador João Doria (PSDB) em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, na manhã desta terça-feira.

"Se a vacina agora é do Brasil, o nosso presidente tenha a dignidade de defendê-la e de solicitar, inclusive, apoio, pro seu Ministério de Relações Exteriores na conversa com o governo da China. É o que nós esperamos”, declarou Dimas Covas.