O Amazonas enfrenta uma crise na saúde com o aumento no número de mortes pelo coronavírus por falta de oxigênio nos hospitais - Erlon Rodrigues/PC-AM
O Amazonas enfrenta uma crise na saúde com o aumento no número de mortes pelo coronavírus por falta de oxigênio nos hospitaisErlon Rodrigues/PC-AM
Por iG
Manaus - Nesta terça-feira (19), a Polícia Militar do Amazonas apreendeu 44 cilindros de oxigênio em uma residência no bairro Novo Israel, zona norte de Manaus. Os instrumentos estavam com o suspeito Raimundo Rilke Balieiro Ribeiro, de 42 anos. Segundo o departamento de Polícia Civil, os cilindros seriam vendidos clandestinamente. As informações são do portal Metrópoles.

De acordo com o titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Vinícius de Melo, responsável pelo caso, a entrega do caso foi feita por uma denúncia anônima.

Em nota, o delegado disse que "a equipe policial se deslocou ao endereço informado e, chegando ao local, constatou as informações repassadas. Segundo o autor, os cilindros eram propriedade do seu chefe, que lhe pediu para que guardasse o material em sua residência para posteriormente buscá-los".

Você viu?

Em outro momento da operação, os agentes envolvidos no caso disseram que o suspeito havia negado saber de qualquer informação sobre os cilindros. De acordo com ele, o chefe não havia mencionado  o motivo de ter guardado os equipamentos, de onde vieram e nem para onde seriam transportados. Além disso, na ocasião, o homem também disse não saber se os cilindros tinham documentação legal.

Apesar de ter sido liberado nesta terça, Raimundo será investigado por inquérito policial. A DIP ainda apura em qual crime o ato de Raimundo se enquadra.

Após ter sido apreendido, o material foi encaminhado à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, que ficará responsável por analisar os cilindros e checar a eficiência deles. Depois, a Delegacia Geral do estado os encaminhará para um local seguro.