Governador do Pará, Helder Barbalho - Marco Santos/ Agência Pará
Governador do Pará, Helder BarbalhoMarco Santos/ Agência Pará
Por iG Último Segundo
Rio - O Ministério Público Eleitoral (MPE) do Pará entrou com um pedido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de cassação da chapa do governo do estado, formada por Helder Barbalho (MDB) e seu vice Lúcio Vale (PL). Segundo o MPE, o governador teria abusado de poder econômico e disseminado fake news durante a campanha de 2018.
O governador teria se utilizado de meios de comunicação social para exercer as transgressões. O MP pediu a inelegibilidade da chapa por 8 anos, por conta das suspeitas. Proprietários e dirigentes da Rede Brasil Amazônia de Comunicação também seriam atingidos pela impossibilidade de se eleger, dentre eles o senador Jader Barbalho (MDB-PA), pai de Helder.
Publicidade
A Rede Brasil Amazônica teria atuado na campanha de 2018 para prejudicar o adversário de Helder na disputa pelo governo do estado, o candidato do DEM Márcio Miranda. Além disso, Helder Barbalho teria feito uso ilegal da Justiça Eleitoral por pedir a instauração, nas vésperas da eleição, de um inquérito para investigar um "bunker" clandestino da campanha de Márcio Miranda, onde estariam lavando dinheiro e armazenando caixa dois.