Arthur Lira (Progressistas-AL), presidente da Câmara dos Deputados - Luis Macedo/Agência Câmara
Arthur Lira (Progressistas-AL), presidente da Câmara dos DeputadosLuis Macedo/Agência Câmara
Por ESTADÃO CONTEÚDO
O Partido dos Trabalhadores (PT) rechaçou a decisão do novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que, em seu primeiro ato, anulou o registro do bloco de seu adversário, Baleia Rossi (MDB-SP), o que pode reduzir a participação dos partidos que integram o grupo na Mesa Diretora da Casa.

Em nota, o PT afirma que há uma tentativa de barrar a representação da oposição na direção do Legislativo. A sigla voltou a alegar que houve instabilidade no sistema interno da Câmara, o que teria causado atraso no registro do bloco.

Embora o ex-presidente da Casa Rodrigo Maia (DEM-RJ) tenha aceitado a justificativa, Lira anulou a decisão minutos após ser eleito.

O PT classificou o ato como autoritário, ilegal e antirregimental. "A maior bancada da Câmara não aceitará que a democracia seja calada dentro da casa do povo", informou o partido.