Arthur Lira (Progressistas-AL), presidente da Câmara dos Deputados - Luis Macedo/Agência Câmara
Arthur Lira (Progressistas-AL), presidente da Câmara dos DeputadosLuis Macedo/Agência Câmara
Por O Dia
Brasília - O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de dez dias para que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), explique sua decisão de infedeferir o bloco do deputado Baleia Rossi (MDB-SP).
Logo após tomar posse na noite de segunda-feira (2), Lira anulou o bloco aglutinado por Baleia Rossi (MDB-SP), que daria a partidos aliados do emedebista 4 cargos na Mesa Diretora da Câmara, cuja composição é definida a partir do tamanho de cada bloco

O argumento do presidente da Casa é que o PT teria se registrado se registrou com 6 minutos de atraso. O horário máximo estipulado era 12h.

Com a manobra, Lira pode ter 5 aliados entre os 6 titulares da Mesa. Com maioria entre os 7 integrantes titulares do colegiado, o presidente (ele próprio 1 dos 7) teria maior liberdade para tocar os projetos que desejar dentro da Casa.