26/09/2018 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS/PARCEIRO - O candidato Guilherme Boulos (PSOL), participa do debate realizado em parceria entre a Folha de São Paulo, Uol e SBT dos candidatos à Presidência da República nos estúdios do SBT, localizado na Rodovia Anhanguera, em Osasco, cidade da Grande São Paulo, na tarde desta quarta-feira (26). Foto: Eduardo Carmim/Parceiro/Agência O Dia - Eduardo Carmim/Parceiro/Agência O Dia
26/09/2018 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS/PARCEIRO - O candidato Guilherme Boulos (PSOL), participa do debate realizado em parceria entre a Folha de São Paulo, Uol e SBT dos candidatos à Presidência da República nos estúdios do SBT, localizado na Rodovia Anhanguera, em Osasco, cidade da Grande São Paulo, na tarde desta quarta-feira (26). Foto: Eduardo Carmim/Parceiro/Agência O DiaEduardo Carmim/Parceiro/Agência O Dia
Por iG
São Paulo - O candidato à prefeitura de São Paulo em 2020, Guilherme Boulos (PSOL), criticou nesta sexta-feira (5) o anúncio de Fernando Haddad como pré-candidato à presidência da República em 2022.

O ex-presidente Lula sinaliza nos bastidores que caso o Supremo Tribunal Federal (STF) não tire seu nome da “ficha suja”, Haddad deve ser escolhido pelo PT como o candidato a impedir a reeleição de Bolsonaro no próximo ano, nas eleições presidenciais.

Boulos usou as redes sociais para comentar o fato. Ainda que sem citar nomes, o psolista defende “unidade”entre a esquerda na disputa contra Bolsonaro

Boulos e Lula têm uma relação próxima, tanto que no segundo turno das eleições para prefeito, o petista pediu votos para ele. Na capital paulista, o candidato do PT, Jilmar Tatto, recebeu 8,7 % dos votos e foi apenas o sexto candidato mais votado.

Já em 2018, Fernando Haddad perdeu para Bolsonaro (sem partido) no segundo turno, por uma diferença de mais de 10 milhões de votos.