Das 25 capitais com a taxa igual ou acima de 80%, 5 estão com registros superiores a 90%
Das 25 capitais com a taxa igual ou acima de 80%, 5 estão com registros superiores a 90%Agência Reuters/Amanda Perobelli.
Por O Dia
Rio - Nesta terça-feira, em edição extraordinária do Boletim, o Observatório covid-19 Fiocruz publicou uma série histórica atualizada sobre ocupação de leitos de UTI covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS), com dados obtidos ontem. A análise apresenta taxas verificadas desde 17 de julho de 2020, e tem como objetivo alertar para o cenário crítico do país. 
Segundo o Boletim, do total de 27 capitais do país, 25 estão com taxas de ocupação de leitos iguais ou superiores a 80%, sendo 15 delas superiores a 90%. "Embora a saída do Pará da zona de alerta crítico para zona intermediária (com a queda do indicador de 82% para 75% na última semana) possa deixar uma impressão visual de melhoria do quadro geral, é importante sublinhar que se observou exatamente o oposto, com crescimento do indicador em quase todos estados e no Distrito Federal, e entrada dos estados de São Paulo e de Sergipe na zona crítica", destaca o documento.
Publicidade
Diante da situação extremamente crítica das taxas de ocupação de leitos , que indicam sobrecarga e mesmo colapso de sistemas de saúde, os pesquisadores reforçam no Boletim a necessidade de ampliar e fortalecer as medidas não-farmacológicas envolvendo distanciamento físico e social, uso de máscaras e higienização das mãos.
"Nos municípios e estados que já se encontram próximos ou em situação de colapso, a análise destaca a necessidade de adoção de medidas de supressão mais rigorosas de restrição da circulação e das atividades não essenciais. Além disso, é necessário o reforço da atenção primária e das ações de vigilância, que incluem a testagem oportuna de casos suspeitos e seus contatos", afirmam.