Romeu Zema, governador de Minas Gerais, anunciou também que as barreiras sanitárias devem fiscalizar a entrada de turistas no estado, cujo ingresso é permitido apenas aos profissionais de saúde e equipes de auxílio
Romeu Zema, governador de Minas Gerais, anunciou também que as barreiras sanitárias devem fiscalizar a entrada de turistas no estado, cujo ingresso é permitido apenas aos profissionais de saúde e equipes de auxílioDivulgação
Por IG Saúde
O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), confirmou a implantação da fase roxa de restrições em Minas Gerais. A classificação, a mais rígida até o momento, é motivada pelo aumento internações e mortes por Covid-19 no estado. De acordo com o governador, em entrevista coletiva, o estado começou "a assistir cenas de horror, pessoas clamando por atendimento e não temos vagas nas unidades de saúde".
A nova fase ocorrerá pelos próximos 15 dias e permite o funcionamento apenas de atividades consideradas essenciais pelo governo, além da implantação de barreiras sanitárias e toque de recolher em todo o estado entre as 20h e as 5h. O governador ainda informou que, durante as abordagens em momentos fora do permitido, os cidadãos devem justificar o motivo de estarem fora de casa.
Publicidade
As barreiras sanitárias também devem fiscalizar a entrada de turistas no estado, cujo ingresso é permitido apenas aos profissionais de saúde e equipes de auxílio. O serviço de turismo está proibido e os hotéis poderão receber apenas profissionais de serviços essenciais.
A onda roxa - como é chamada a classificação - também proíbe eventos públicos e privados, entre os quais reuniões presenciais. A circulação de pessoas com qualquer sintoma de gripe também é proibida, exceto para o caso de busca por acompanhamento médico. A classificação também se mostra mais rígida quanto ao uso de máscaras, que é obrigatória em qualquer ambiente de uso coletivo, seja público ou privado.