Coronavírus
CoronavírusReprodução
Por O Dia
Rio - O projeto Missão Covid, liderado pelo médico cardiologista Leandro Rubio e o CEO da GO.K Cristiano Kanashiro, realizou 91 mil atendimentos, mais de 4,2 milhões de acessos ao site e 2289 cidades atendidas em um ano de atendimento. A ideia foi criada em março de 2020, com um perfil no Instagram e logo depois foi lançada a plataforma oficial de atendimento (www.missaocovid.com.br) com apenas 20 médicos voluntários para a realização de consultas gratuitas via telemedicina. Atualmente o projeto conta com a contribuição de mais de 1.400 médicos voluntários de diferentes especialidades e localidades do país.
Segundo o projeto, no período entre março de 2020 e fevereiro de 2021, foram registradas 21.041 solicitações de atendimentos no estado do Rio de Janeiro e 18.487 do estado de São Paulo. O total de pacientes atendidos pela plataforma que teve hipótese diagnóstica de Covid-19 foi de 83%.

"Quando tivemos a ideia da Missão Covid não imaginávamos onde chegaríamos. Somos muito gratos pela experiência que ganhamos profissional, pessoal e, mais do que tudo, por ter acreditado em uma missão humanitária que fez a diferença na vida de tantas pessoas", afirma Leandro Rubio, fundador da Missão Covid.

O projeto ressalta que a telemedicina ainda é uma questão em debate no Brasil, mas o uso da tecnologia para o atendimento médico foi autorizado em caráter emergencial e está liberado até o final da pandemia, de acordo com a aprovação do projeto de lei PL 696/020 pelo Senado.

No momento em que a pandemia chega ao seu maior pico, com hospitais lotados em todo o país, a Missão Covid continua atendendo diariamente pessoas de todo o país, contribuindo desta forma para que pessoas com sintomas leves da Covid-19 não precisem sair de casa para receber orientação médica.

Parcerias

A Missão Covid-19 também ressalta que parceria com diferentes empresas permitiu a sustentabilidade do projeto. A operadora Claro doou chips de telefonia móvel para a realização do atendimento médico pelos profissionais voluntários da plataforma e liberou o acesso dos clientes pré-pagos ao site da Missão Covid, não descontando da franquia mensal do pacote de dados dos usuários. A farmacêutica Zambon doou R$ 100 mil, e a XP investimentos divulgou o projeto para toda a base de clientes médicos.

O Clube de Autores reverteu o lucro das vendas do livro "Crônicas da Quarentena", e uma campanha da Kickante com o apoio da Guide Investimentos arrecadou R$103.374,01. Os valores arrecadados foram utilizados para cobrir custos com melhorias da plataforma, certificações digitais, seguros e infraestrutura tecnológica.

Starbem

Após a bem-sucedida operação da Missão Covid e os pedidos de usuários por um formato que englobasse solicitações além da Covid-19, Leandro Rubio e Cristiano Kanashiro apostaram em um novo projeto que utiliza o recurso da telemedicina: a Starbem.

A startup mantém o objetivo de proporcionar atendimento médico por videochamada para todo o País. Entre seus públicos-alvo está, principalmente, a população que não possui um plano de saúde e não tem acesso a médicos fora do Sistema Único de Saúde (SUS). Por isso, a Starbem oferece opções que variam entre R$ 14,90 por mês (anual) e R$ 19,90 por mês (mensal), com consultas por videochamada, renovação de receita médica, além de descontos em exames.

Por meio do aplicativo, disponível para os sistemas Android e IOS, os pacientes têm à disposição consultas com clínico geral e médico de família e também 12 especialidades: endocrinologia, cardiologia, infectologia, ginecologia, otorrinolaringologia, neurologia, psiquiatria, geriatria, dermatologia, vascular, gastroenterologia e pediatria. O valor para inclusão de dependentes, em qualquer um dos planos, é de R$ 9,90 por mês por dependente.

A Starbem tem um papel importante para mudar esse cenário e democratizar o acesso ao atendimento médico de qualidade no país com uma abordagem integral da saúde, que inclui não apenas consultas e descontos em exames, mas também lives de atividades voltadas à melhoria da saúde física e mental. A missão da health tech está alinhada com os objetivos de desenvolvimento sustentável para melhorar a saúde e o bem-estar dos brasileiros, estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Para mais informações, acesse www.starbem.app