Os parlamentares também devem analisar vetos presidenciais ao Orçamento Federal de 2021.
Os parlamentares também devem analisar vetos presidenciais ao Orçamento Federal de 2021. Agência Brasil - Isac Nóbrega/PR
Por IG - Último Segundo

Pela primeira vez em mais de 30 anos, PT e PSDB se uniram para dialogar e formar uma frente contra o presidente Jair Bolsonaro. O 'pacto de não agressão' tem como base a condução do combate à pandemia de covid-19 pelo governo federal. O partido tucano se manifestou pelo Twitter:

O PSDB estará sempre do lado da Democracia, custe o que custar. Do ponto de vista político-eleitoral, temos uma visão de mundo muito distinta do Partido dos Trabalhadores (PT). Só radicais não dialogam. Necessário ao Brasil, diálogo não é sinônimo de aliança política. https://t.co/jG70FnUTKO
— PSDB (@PSDBoficial) March 22, 2021
Publicidade
No Fórum dos Governadores, João Dória (PSDB) - chefe do executivo estadual de São Paulo e eleito sob discurso antipetista - abriu mão do protagonismo e apoiou a escolha de Wellington Dias (PT), do Piauí, como coordenador das discussões a cerca das vacinas contra o novo coronavírus.
O ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), disse em entrevista ao Estadão que está "aberto a conversar. É preciso definir quem é o inimigo principal. Como a gente ganha dele?"
Publicidade
Durante a última semana, foi noticiado que o governador do Piauí seria o 'emissário' do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para fazer com que as relações com o PSDB voltassem a estreitar.
Você pode gostar