STJ nega pedido para encerrar inquérito contra sociólogo que chamou Bolsonaro de 'pequí roído'
STJ nega pedido para encerrar inquérito contra sociólogo que chamou Bolsonaro de 'pequí roído'Reprodução
Por iG
Brasília - O Superior Tribunal de Justiça (STJ), através do ministro Ribeiro Dantas, negou um pedido de encerramento de inquérito contra o sociólogo que comparou o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), a um "pequi roído" numa placa de outdoor.
O ministro apontou que não há requisitos para que a concessão da tutela de urgência fosse certificada. A ação, portanto, mantém a investigação pela Polícia Federal por crime contra a honra do chefe do Executivo.
Publicidade
"Sem qualquer adiantamento do mérito da demanda, não se vislumbra, ao menos neste instante, a presença de pressuposto autorizativo da concessão da tutela de urgência pretendida", apontou Ribeiro Dantas.

A defesa alega que as atitudes tomadas pelos patrocinadores que investiram nas placas de outdoor são respaldadas pela constituição, já que a propaganda não atrelava ou sugeria 'consuta criminosa' de Bolsonaro.

Na placa, era possível ler as frases "Cabra à toa, não vale um pequi roído, Palmas quer impeachment já" e "Vaza Bolsonaro! O Tocantins quer paz".