Por IG - Último Segundo | Gabriel herbelha
Rio - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), declarou, em entrevista coletiva na tarde desta sexta, que a CPI da Covid-19 deverá ser instalada na próxima semana, na terça ou na quinta-feira.
Segundo o senador mineiro, apesar do grave momento da pandemia da covid-19, ele "mantêm a lógica que seja presencial", mas afirma que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) deverá ser realizada de forma semi-presencial:
Publicidade
“Naturalmente terá de haver pelo presidente do CPI uma grande preocupação para que os atos sejam feitos de maneira correta, com absoluta lisura daquilo que for sigiloso se mantenha em sigilo”, declara Pacheco, que completa dizendo que caberá ao Senado “garantir a segurança sanitária” daqueles que tiverem de ir até o Congresso participar dos encontros.
O líder do Senado deu detalhes do funcionamento da CPI, que terá 11 membros, que escolherão o presidente e o vice-presidente da Comissão. Nesse caso, cabe ao presidente eleito pelos membros escolher o relator e quais etapas serão presencias e a distância.
Publicidade
A instauração da CPI da Covid foi confirmada na última quarta-feira, em sessão no Supremo Tribunal Federal (STF), e investigará ações e possíveis omissões do governo federal durante a crise sanitária acarretada pela covid-19.

Pacheco, próximo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), evitou dar sua posição a respeito da CPI durante a entrevista, e se limitou a dizer que cumpre as decisões judiciais do Supremo:

“O cumprimento da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que para mim, é uma lógica inafastável de se cumprir as decisões judiciais e assim eu o fiz”.