Nos dois casos, os trabalhos foram realizados pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos (Garra), do Departamento de Operações Especiais de Polícia (Dope), com a participação da Polícia Militar
Nos dois casos, os trabalhos foram realizados pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos (Garra), do Departamento de Operações Especiais de Polícia (Dope), com a participação da Polícia MilitarReprodução Globo
Por O Dia
São Paulo - A Polícia Civil interrompeu duas festas clandestinas que ocorreram na Capital e na Região Metropolitana de São Paulo, entre a noite deste sábado e a madrugada deste domingo. Em cada local, foram flagradas cerca de 100 pessoas aglomeradas. Ao todo, nove detidos foram autuados em flagrante.

Nos dois casos, os trabalhos foram realizados pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos (Garra), do Departamento de Operações Especiais de Polícia (Dope), com a participação da Polícia Militar, em apoio ao comitê de "blitz", criado pelo Governo de São Paulo para reforçar a fiscalização do cumprimento das medidas restritivas contra a pandemia e atuar contra festas clandestinas e aglomerações.

O primeiro flagrante ocorreu na noite de ontem em um bar, no Campo Belo, na Zona Sul de São Paulo. No local, os agentes encontraram 117 pessoas bebendo e dançando, desrespeitando o distanciamento social e algumas sem a utilização da máscara de proteção, descumprindo o Decreto Estadual que visa a combater a disseminação do Covid-19.

No estabelecimento foram apreendidos equipamentos de som e cinco máquinas de cartão. Uma equipe da Vigilância Sanitária realizou as respectivas autuações administrativas e a maior parte dos presentes foi liberada, após ser qualificada, para evitar aglomeração.
Região Metropolitana

Na madrugada deste domingo, na Região Metropolitana de São Paulo, a Polícia Civil flagrou cerca de 100 pessoas aglomeradas em uma festa clandestina, em um estabelecimento na Estrada da Aldeinha, em Carapicuíba.

No local, os presentes não respeitavam o distanciamento social e parte deles não utilizava a máscara de proteção.

Equipes da Vigilância Sanitária, Prefeitura e Procon realizaram as respectivas autuações e a maior parte das pessoas foram liberadas, após ser qualificada, para evitar aglomeração.

Na ação, foram apreendidos equipamentos de som e quatro máquinas de cartão, e solicitados exames periciais ao IC.

Dois homens foram detidos e levados ao 1º Distrito Policial da cidade, onde foram autuados por infração de medida sanitária preventiva. A ocorrência também foi encaminhada ao Jecrim.