Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores na Zona Norte do Rio sem usar máscara
Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores na Zona Norte do Rio sem usar máscaraWILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO
Por O Dia
Rio - Nesta terça-feira, a revista científica Nature publicou uma reportagem em que pesquisadores denunciam as atitudes tomadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro no combate à pandemia. O texto, que avalia o atual cenário como uma “épica crise de saúde pública”, relaciona as condições precárias do país com a falta de medidas que deveriam ter sido tomadas em âmbito nacional, como o lockdown e a conscientização da população. 
Na matéria, os estudiosos reforçam o fato do país corresponder a 13% dos óbitos pela doença, quando só tem 3% da população mundial. “Um aumento nas infecções por coronavírus levou muitas das unidades de terapia intensiva do Brasil à beira do colapso. E o número de mortes diárias e mensais atingiu níveis recordes”, diz o texto.
Publicidade
“Bolsonaro, uma figura polarizadora que foi comparada ao ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, vem contradizendo a opinião científica desde o início da pandemia, quando chamou a Covid-19 de ‘gripezinha’. No fim do ano passado, ele também deu a entender que as vacinas contra a Covid-19 podem ser perigosas, dizendo: ‘Se você virar um jacaré, é problema seu’", acrescentaram, ressaltando também que apenas um a cada dez brasileiros foram vacinados até o momento. 
Os cientistas também não deixaram de fora a postura negacionista do chefe do Executivo. Segundo eles, essa falta de ação do governo permitiu a maior circulação das novas variantes do vírus no país, além de impedir o desenvolvimento científico com a falta de recursos para estudos.
Publicidade
A publicação reforça, ainda, que os pesquisadores têm atuado em aparições públicas para incentivar as medidas preventivas, deixando de lado parte de seus trabalhos.