Felipe Neto chegou a ser intimado pela Polícia Civil do Rio por chamar Bolsonaro de genocida
Felipe Neto chegou a ser intimado pela Polícia Civil do Rio por chamar Bolsonaro de genocidaReprodução
Por O Dia
O youtuber Felipe Neto comemorou em seu Twitter o trancamento da investigação aberta pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) após o empresário chamar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida.
Sobre a investigação aberta por Carlos, o promotor Guilherme Macabu Semeghini reconhece "flagrante ilegalidade" na denúncia por suposto crime previsto na Lei de Segurança Nacional.
Publicidade
Em uma publicação no twitter, o influenciador ironicamente mandou beijos para o filho do presidente.
"Vitória. Promotor de Justiça acaba de opinar a favor do Habeas Corpus e o trancamento da investigação policial contra mim por chamar o Presidente de 'genocida'. Deixou claro se tratar de 'flagrante ilegalidade praticada pela autoridade coatora'. Beijo Carlos Bolsonaro", escreveu Felipe.
Semeghini alegou que Carlos Bolsonaro não poderia ter iniciado a investigação contra Felipe pela Lei de Segurança e disse que não existem crimes no que o youtuber disse, mas que a fala se trata de opinião. Fica a cargo da Justiça julgar que fim terá a investigação, que poderá ser encaminhada à Justiça Federal ou anulada, conforme o pedido do Ministério Público.