Preço médio de imóveis no país sobe 0,14% em março, diz FipeZap

O preço médio do metro quadrado nas 20 cidades pesquisadas foi de R$ 7.49. No Rio de Janeiro, o valor continua sendo o mais alto

Por bruno.dutra

Rio - O preço médio do metro quadrado dos imóveis anunciados em 20 cidades brasileiras teve alta de 0,14% em março em relação a fevereiro, resultado abaixo da inflação pelo quinto mês seguido, de acordo com o índice FipeZap Ampliado divulgado nesta quinta-feira. Em relação a março de 2014, o aumento foi de 5,34%.

Em ambos os casos, os aumentos registrados foram menores do que a inflação verificada pelo IPCA-15, a prévia da inflação oficial do país, que acelerou a alta a 1,33% em fevereiro, acumulando 7,90% em 12 meses, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Perdemos dinamismo na economia de forma rápida e muito acentuada... É natural que a demanda pelo mercado imobiliário continue caindo, com o aumento dos estoques e queda de preços", disse à Reuters o coordenador do índice, Eduardo Zylberstajn.

Entre as cidades pesquisadas, o Rio de Janeiro mostrou estabilidade de preços na comparação mensal, ante alta de 0,31 por cento em fevereiro sobre janeiro.

"A estabilidade já chama atenção. Até pouco tempo atrás, o Rio era líder absoluto no aumento de precos", afirmou.

Em São Paulo, houve aumento mensal de 0,53% em março. Os maiores avanços foram registrados em Florianópolis (+2,06%) e Porto Alegre (+1,2%).

O preço médio do metro quadrado nas 20 cidades pesquisadas foi de R$ 7.49. No Rio de Janeiro, o valor continua sendo o mais alto do país, de R$ 10.65, seguido por São Paulo (R$ 8.53). Contagem (R$ 3.414) e Goiânia (R$4.01) registraram os valores mais baixos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia