Por monica.lima

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) registrou aumento na primeira semana de junho em cinco das sete capitais pesquisadas, com destaque para a cidade do Recife, a maior taxa do país, com variação de 1,12%, informou o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV).

O IPC-S calcula com agilidade mudanças de curso na trajetória dos preços nas seguintes capitais do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Brasília. Com coleta semanal, a apuração das taxas de variação leva em conta a média dos preços coletados nas quatro semanas anteriores até a data de fechamento.

Apesar de registrar a maior taxa, os preços na capital de Pernambuco recuaram 0,06 ponto percentual na primeira de junho em relação à última semana de maio. O índice caiu de 1,18% para 1,12%.

A outra capital que registrou recuo da taxa foi Belo Horizonte: os preços caíram 0,06 ponto percentual (de 0,79% para 0,73%). Mesmo tendo registrado a menor variação do IPC-S na primeira semana de junho, a cidade de Brasília registrou ligeira elevação entre uma semana e outra: 0,02 ponto percentual (de 0,65% para 0,67%).

Porto Alegre registrou a segunda maior alta do país: 0,92%, elevação de 0,21 ponto percentual entre um período e outro: na apuração anterior, o índice foi 0,71%. Em seguida vem São Paulo com elevação de 0,89% e aumento de 0,15 ponto percentual: na última semana de maio, a taxa foi 0,74%. No Rio de Janeiro, a variação foi 0,2 ponto percentual (de 0,54% para 0,74%).

Dados já divulgados anteriormente pela FGV indicam que o IPC-S médio das sete capitais pesquisadas foi 0,85%, mostrando aceleração de 0,11 ponto percentual entre a última semana de maio e a primeira de junho.

Você pode gostar