Ingressos da Copa envolvidos em revenda ilegal podem ser cancelados

Entradas para as semifinais e a final estão em nome de empresas vinculadas a esquema de revenda não autorizado

Por parroyo

A subsidiária da Fifa que vende pacotes para a Copa do Mundo advertiu nesta segunda-feira que pode cancelar os ingressos para as semifinais e a final que estão em nome de empresas vinculadas a um esquema de revenda ilegal de entradas.

A Match Hospitality, autorizada pela Fifa para vender pacotes Vip para as partidas, identificou quatro empresas cujos nomes aparecem nos ingressos apreendidos pela polícia em uma operação contra uma rede internacional de revenda ilegal de entradas. As companhias estavam proibidas de revender os ingressos.

A Match Hospitality informou o cancelamento de todos os ingressos comprados pela Atlanta Sportif, a empresa dirigida pelo franco-argelino Mohamadou Lamine Fofana, detido na semana passada no Rio de Janeiro e apontado como suposto líder da rede de cambistas.

A empresa de Lamine havia comprado 105 pacotes para sete partidas pelo valor de US$ 121,7 mil, informou a Match Hospitality em um comunicado.

A Match Hospitality destacou ainda que bloqueou os pacotes das empresas Reliance Industries Limited, Jet Set Sports e Pamodzi Sports, e alertou que cancelaria os ingressos para as semifinais e a final, exceto no caso de uma cooperação com a investigação.

A Reliance Industries comprou 304 pacotes para 19 partidas por um valor de US$ 1,2 milhão, incluindo acesso a um camarote privado para todas as partidas no Rio, São Paulo e Belo Horizonte. De acordo com a Match Hospitality, 59 ingressos apreendidos na semana passada tinham o nome da empresa.

Outros ingressos apreendidos tinham o nome da Jet Set Sports, que comprou 40 pacotes para duas partidas por US$ 108,2 mil. O destinatário era uma pessoa que reside na Austrália, segundo a Match Hospitality, que não divulgou o nome.

Outro ingresso tinha o nome Pamodzi, que comprou 350 pacotes para 18 partidas - incluindo cadeiras executivas e camarotes privados - por mais de um 1,2 milhão de dólares.

A Match Hospitality, cujos pacotes incluem camarotes privados, comida gourmet e brindes, informou que até o momento nenhum de seus funcionários foi acusado de integrar a rede de revenda ilegal de ingressos.

A polícia brasileira acredita que um funcionário da Fifa hospedado no hotel Copacabana Palace está envolvido no sistema de revenda ilegal de milhares de ingressos.

Os investigadores afirmaram acreditar que a rede de cambistas tinha quase mil ingressos por partida, a um preço base de US$ 1.365 cada.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia