Sem limites para sonhar

Pedro e Guilherme, que ampliaram seus horizontes com a prática do paraesporte, vão entrar no campo do Maracanã com as seleções da Copa América

Por O Dia

Guilherme (à esquerda) e Pedro (à direita) descobriram o gosto pelo esporte e a força para testar os limites no Paraesporte, projeto de iniciação esportiva da prefeitura de Campos. Na foto: Fábio Cobóski (camisa lilás), coordenador do Paraesporte, Bernardo Romeiro (ao centro), atleta parceiro, e o professor José Augusto (camisa azul-escuro)
Guilherme (à esquerda) e Pedro (à direita) descobriram o gosto pelo esporte e a força para testar os limites no Paraesporte, projeto de iniciação esportiva da prefeitura de Campos. Na foto: Fábio Cobóski (camisa lilás), coordenador do Paraesporte, Bernardo Romeiro (ao centro), atleta parceiro, e o professor José Augusto (camisa azul-escuro) -
Campos — Pedro e Guilherme são rivais no futebol. Um, torcedor do Flamengo, o outro é fanático pelo Vasco. Mas eles têm mais coisas a uni-los do que a separá-los. Dentre elas, a paixão pelo esporte e a determinação de não se deixar limitar por qualquer dificuldade, mesmo que muitos possam, ao primeiro olhar, julgá-los menos aptos.
Este mês, Pedro e Guilherme, ambos de 10 anos, vão compartilhar também a realização de um sonho. Os meninos, que descobriram que podiam mais do que pensavam com a ajuda do Paraesporte, projeto da Fundação Municipal de Esportes da prefeitura de Campos, vão adentrar o gramado do Maracanã ao lado dos jogadores das seleções nacionais que disputam a Copa América, que começa na sexta-feira, 14, no Brasil.
“Ele não fala de outra coisa”, vibra Viviana Azevedo, mãe de Guilherme. Viviana conta como a prática esportiva transformou o pequeno vascaíno, que desde que entrou no Paraesporte para aulas de natação e equoterapia parece ter descoberto seu lugar no mundo. “O esporte mudou a vida dele. Guilherme está muito mais feliz e sociável”.
Pedro vai acompanhar os jogadores de Peru e Bolívia na entrada em campo na terça-feira, 18.
“É um sonho dele ir ao Maracanã, e ainda mais entrar em campo em um jogo entre seleções”, revela Denise Rodrigues, mãe do rubro-negro, que tem o segundo sonho de conhecer jogadores do time de coração, e espera poder realizá-lo durante a visita ao estádio.
Os garotos foram selecionados pelas Olimpíadas Especiais Brasil (OEB) para participar da iniciativa, promovida em parceria com a Conmebol, e se juntar a mais 19 atletas felizardos.

Comentários