Defesa Civil participa de treinamento contra o avanço das manchas de óleo

Desastre ambiental deve atingir litoral fluminense, e órgãos se preparam para resposta rápida e eficiente

Por O Dia

Membros da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros de Campos, e representantes de vários órgãos municipais, participaram de treinamento com técnicos do Inea e do Ibama para monitoramento do avanço das manchas de óleo na costa brasileira
Membros da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros de Campos, e representantes de vários órgãos municipais, participaram de treinamento com técnicos do Inea e do Ibama para monitoramento do avanço das manchas de óleo na costa brasileira -
Campos — A aproximação do óleo que atingiu as praias do Nordeste do litoral do Sudeste elevou o nível de alerta das autoridades da região. Na segunda, no Porto do Açu, em São João da Barra, técnicos a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Ambiental (SMDA) e da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil de Campos participaram de um treinamento para acompanhamento e vigilância do avanço das manchas. A Gerência de Operações em Emergências Ambientais do Inea (Instituo Estadual do Ambiente) conduziu a capacitação.
“O município, o estado e a União, coordenados pela Marinha, estão se organizando para o monitoramento e possível identificação de manchas de óleo aqui no litoral fluminense”, comentou Leonardo Barreto, secretário de Desenvolvimento Ambiental de Campos. “O objetivo é estarmos preparados para uma resposta rápida e eficiente”.
Membros da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros de Campos, e representantes de vários órgãos municipais, participaram de treinamento com técnicos do Inea e do Ibama para monitoramento do avanço das manchas de óleo na costa brasileira - Divulgação prefeitura de Campos
As primeiras manchas de óleo surgiram na costa nordestina no dia 30 de agosto. Nos últimos dias, atingiram o Espírito Santo.
De acordo com o major Edison Pessanha, coordenador da Defesa Civil campista, disse que já há certeza de que o desastre ambiental vai alcançar o litoral fluminense, mas com menor intensidade.
“É uma questão de tempo, que depende de uma série de fatores naturais, como as correntes marítimas”, disse o militar.
O treinamento teórico e prático oferecido pelo Inea consta de mapeamento das áreas e o levantamento de dados quanto a recursos humanos e equipamentos disponíveis, para serem utilizados em uma possível intervenção.
Em outubro, o governador Wilson Witzel criou um grupo de trabalho para monitoramento da tragédia. O grupo é coordenado pela secretária do Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lúcia Santoro, e composto por técnicos do Inea. O treinamento tem como base as orientações do Ibama.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Membros da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros de Campos, e representantes de vários órgãos municipais, participaram de treinamento com técnicos do Inea e do Ibama para monitoramento do avanço das manchas de óleo na costa brasileira Divulgação prefeitura de Campos
Membros da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros de Campos, e representantes de vários órgãos municipais, participaram de treinamento com técnicos do Inea e do Ibama para monitoramento do avanço das manchas de óleo na costa brasileira Divulgação prefeitura de Campos

Comentários