O prefeito de Campos, Rafael Diniz (à direita), conversa com o reitor da Uenf, Raul Palácio - Divulgação prefeitura de Campos
O prefeito de Campos, Rafael Diniz (à direita), conversa com o reitor da Uenf, Raul PalácioDivulgação prefeitura de Campos
Por O Dia
Campos — Um passo importante foi dado por Campos para controle da pandemia do coronavírus e projeções de políticas públicas que acelerem uma eventual saída da quarentena. Uma parceria com a Uenf permitiu à prefeitura a capacitação e certificação do Laboratório Regional do Hospital Geral de Guarus (HGG) para testagem das amostras suspeitas de contágio pela covid-19. Com isso, a expectativa é de que resultados, que antes levavam em média 15 dias para sair, demorem apenas 48 horas.
“Sabemos que o número de casos deve aumentar”, comentou o prefeito Rafael Diniz. “Nossos resultados mostrarão com maior clareza a situação do município num período importante para tomarmos as medidas necessárias. As subnotificações serão bem menores”.
Publicidade
“É de extrema importância essa aproximação. Somos entes públicos e nosso maior interesse é o bem-estar da população”, declarou o reitor da Uenf, Raul Palácio.
O laboratório do HGG, em Campos, foi capacitado para fazer análises de amostras contaminadas pela covid-19 - Divulgação prefeitura de Campos
Publicidade
Na parceria, a prefeitura oferece a estrutura física e parte do pessoal; a universidade cede equipamentos, profissionais com qualificação e apoio técnico.
Depois de passar por um período de adaptação e avaliação — equipe do Lacen-RJ, responsável pelos exames no estado, certificou a unidade em visita no início do mês —, o laboratório do HGG está preparado para realizar até 200 análises por dia.
Publicidade
“O laboratório será usado pelos profissionais do HGG e da Uenf para que possamos ampliar a cobertura dos testes e respondermos mais rapidamente nas iniciativas contra a pandemia”, destacou Andreya Moreira, diretora da Vigilância em Saúde.
Mas mesmo com a nova instalação o município ainda vai depender dos insumos estaduais, uma vez que os kits para realizar as análises são fornecidos pela Secretaria Estadual de Saúde.
“Só podemos trabalhar se os kits continuarem chegando normalmente”, alertou Diniz.