Filho pede ajuda para encontrar pai, suspeito de ter assassinado a mãe, em Campos

O jovem, de 24 anos, qualifica o crime como "covarde".

Por Bertha Muniz

Mara Tavares Damasceno foi mais uma vítima da violência contra a mulher.
Mara Tavares Damasceno foi mais uma vítima da violência contra a mulher. -

CAMPOS - Filho mais velho de Mara Tavares Damasceno, assassinada a tiros na manhã do último dia 15, no Parque Corrientes, em Campos, Nilton Pinto Monteiro Neto usou as redes sociais para pedir ajuda para localizar o pai, Nilton Francisco Rangel Pinto, de 67 anos. Ele é o principal suspeito de ter cometido o crime e está foragido.

Em um vídeo de um minuto, o jovem, de 24 anos, qualifica o crime como “covarde” e afirma que a família não tem retorno da Polícia. O jovem pede, ainda, compartilhamento do apelo para que chegue até alguém quem possa ter informações sobre o paradeiro do pai.

“Faz 14 dias que aconteceu esse crime bárbaro, hediondo, covarde, cometido pelo meu pai, e nada foi feito. Tivemos notícias de denúncias de outros lugares do Brasil, mas, até agora, nada. A Polícia não contata a gente, não conversa, não procura. Podemos contar é com vocês aí do outro lado, compartilhar, para a gente ter o mínimo, que é justiça pelo que ele fez com a minha mãe. Queria pedir a todos vocês para compartilhar e denunciar, caso veja ele, porque ele está solto”, disse.

O crime foi registrado por uma câmera de segurança instalada próximo à residência da vítima. No dia 19 de setembro, o Portal dos Procurados do estado do Rio de Janeiro divulgou um cartaz do empresário.

“Eu quero que todo mundo possa ajudar. Tem muitas mulheres que sofrem agressões por nada. E não existe nenhuma justificativa. Por mais que aconteça qualquer coisa, ninguém tem direito de tirar a vida de ninguém", pede o filho, Nilton Tavares Neto.

A Justiça, através da 1ª Vara Criminal de Campos de Goytacazes, expediu um mandado de prisão temporária contra Nilton Francisco pelo crime de homicídio qualificado.

“Eu não o reconheço mais como pai. Ainda mais depois do que ele fez”, desabafou a filha do ex-casal, Melissa Tavares. Mara Cristina havia se mudado do Espírito Santo para Campos desde que se separou de Nilton Francisco, há oito anos. Melissa relata que o pai nunca lidou bem com a separação já que os filhos escolheram ficar com a mãe. “Ele tinha um sentimento de ódio por ela”, conta Melissa.

Os irmãos acreditam que um dos motivos que teria levado Nilton a praticar o crime seria o pagamento de uma dívida de pensão alimentícia no valor de R$ 17 mil, que ele devia à ex-mulher há anos. Neto, que também era vizinho da mãe, conta que no momento do ocorrido acordou com um barulho de tiro, mas achou que estivesse sonhando.

“Foi quando os vizinhos batem no portão falando: Neto, fica calmo. Acabaram de matar a sua mãe e acho que foi seu pai. Vimos uma caminhonete vermelha saindo”, explica o filho emocionado.

De acordo com a Polícia Civil, a camionete pertence ao suspeito e ainda não foi localizada. O que leva a crer que Nilton Francisco ainda esteja com ela. Ainda segundo a polícia, testemunhas teriam visto o homem na rodoviária de Vitória, na região metropolitana do Espírito Santo. Nilton Francisco é um empresário do ramo alimentício em Guarapari, onde trabalha com trailers de alimentos nas orlas do município e também em eventos particulares.

Um trabalho de inteligência está sendo feito em conjunto com a polícia capixaba para conseguir informações sobre o paradeiro do empresário. Mara Cristina se tornou mais um rosto da violência contra a mulher em Campos, que é a terceira cidade do estado com o maior número de casos de feminicídio segundo o Dossiê Mulher do Instituto de Segurança Pública.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do suspeito pode denunciar por aplicativo de mensagem do Portal dos Procurados (21) 98849-6099, e pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia nos números (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177.

Comentários