Tim Cook, CEO da Apple - AFP
Tim Cook, CEO da AppleAFP
Por Marco Sá
Envolvida em um imbróglio com a Apple, que excluiu o jogo Fortnite de sua loja de aplicativos, a Epic se juntou a outras empresas, como Spotify, para exigir mudanças em pagamentos.
A App Store cobra uma taxa de 30% por cada app ou serviço adquirido e não dá espaço para lojas concorrentes. A forma como a loja exibe os apps também é alvo de queixas de desenvolvedores, que se uniram em um movimento que pede por justiça para os aplicativos (Coalition for App Fairnes, em inglês). Além de Epic e Spotify, também fazem parte empresas como Deezer e Match, dona do Tinder e OkCupid.
Publicidade
A Coalition for App Fairness defende 10 princípios para serem incluídos nas políticas das lojas de aplicativos. Entre elas, querem liberdade para incluir outras lojas de apps, maior flexibilidade para seus modelos de negócios e o fim das práticas que consideram como concorrência desleal. O conglomerado alega que a Apple recebe anualmente US$ 15 bilhões só em comissões.
Várias dessas empresas têm ou já tiveram algum problema com a Apple. A Epic anunciou no começo de setembro que está movendo um processo contra a gigante de Cupertino.
Publicidade