Bolsonaro e Haddad recuam da ideia de nova Constituinte

Acima de tudo e de todos, e pela garantia da Ordem, existem os outros Poderes e à Carta Magna

Por Leandro Mazzini

Brasília - Deu resultado o circo armado com autoridades em mesa gigante na coletiva de imprensa no Tribunal Superior Eleitoral no domingo à noite. Bastava a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, a exemplo dos colegas no cargo em eleições passadas. Mas os candidatos Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), que ensaiaram na campanha uma nova Constituinte, entenderam o claro recado diante de tantas autoridades de tão diferentes Poderes e instituições públicas e da sociedade civil: não mexam com a democracia.

Acima de tudo e de todos, e pela garantia da Ordem, existem os outros Poderes e à Carta Magna. Haddad e Bolsonaro recuaram da ideia.

Lembrete

Os candidatos foram infelizes no tema - Haddad, em seu programa de governo, e Bolsonaro, com seu vice general boquirroto - justo nos 30 anos da Constituição de 1988.

Escondidinho

Levy Fidelix, o presidenciável do PRTB, que falava do aerotrem nas eleições presidenciais, tentou se eleger deputado federal. Sem sucesso, com 32.113 votos.

Aliás...

...O PRTB fundado por Fidelix emplacou o vice de Bolsonaro, o General Mourão. Mas caiu na cláusula de barreira, e agora está sem tempo de TV e sem fundo eleitoral.

Derrota em casa

Outro motivo da possível desistência de Marina Silva (Rede) de disputar a Presidência em 2022: no Acre, seu estado natal, ela ficou em quinto lugar, com 2,5% dos válidos, com pouco mais de 10 mil votos. Bolsonaro obteve estupendos 62,24% dos votos (262.508), seguido de Haddad no segundo lugar, com 78.170 votos (18,53% dos válidos).

Da Bala e do B

Dos cerca de 30 delegados federais que disputaram a eleição para cargos proporcionais este ano, três deles foram eleitos deputados federais: Pablo Oliva (AM), Marcelo Freitas (MG) e Felício Laterça (RJ), todos do PSL de Bolsonaro.

É isso aí!

A Coluna virou fã da chapa das cinco feministas que se elegeu para a Assembleia de Pernambuco no chamado Mandato Coletivo - uma delas vai assumir, mas as cinco dividem o gabinete e tomam as decisões. Na espontaneidade de iniciante, Carol Vergolino, a representante na cadeira, mandou: vamos abrir um canal com a sociedade organizada, e a desorganizada também...falou tudo.

Está demitido

Relator da Reforma Trabalhista, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN) foi demitido pelo povo nas urnas. Assistirá às sessões pela TV Câmara ano que vem.

Família em casa

O casal Raupp vai vestir o pijama mais cedo a partir de 2019 em Rondônia. Valdir Raupp ficou em 7º lugar para o Senado, e Maninha Raupp perdeu a vaga na Câmara.

Deu-se mal

Lembram de Patrícia Lélis, a feminista que acusou o Pastor Feliciano de estupro? Tentou se eleger deputada federal pelo PROS em SP, mas obteve só 1.605 votos. Ela responde a processo por falso testemunho, ao tentar negociar seu silêncio.

Voltou

Já o Pastor Feliciano voltou à Câmara Federal, agora pelo Podemos. Obteve 239.784 votos em São Paulo. Ele é alvo de inquérito no STF na acusação de Lélis. Processo com Ministro Fachin. E segue a novela na qual ambos são suspeitos.

Azedou o acarajé

Uma turma de peso no voto tentou voltar à Câmara pela Bahia e não conseguiu. Eles já limpam o gabinete a partir de novembro: José Carlos Aleluia (DEM), Tia Eron (PRB), Imbassahy (PSDB), Lúcio Vieira Lima (MDB) - irmão do preso Geddel Lima - e Benito Gama (PTB).

Pé-frio

Ex-boia fria, Adilson Barroso, presidente do Patriota, também é pé frio. Além de perder a filiação de Bolsonaro após rusgas nas tratativas, não se elegeu deputado federal após gastar R$ 2 milhões. Seu principal aliado em Brasília, Paulo Fernando Melo, que ficou com pouca verba do partido, perdeu por mil votos para deputado federal.

Ponto Final

É boa hora de Bolsonaro e Haddad mandarem uma mensagem juntos pela eleição republicana, sem brigas, sem guerra nas ruas.

Esplanadeira

O Grupo TODDE de Brasília lançará dia 19, no Oliver do Golf Club, a Cervejaria Dümf.

O Colégio Marista Asa Sul, em Brasília, participa do I Fórum com Crianças, em encontro de 17 colégios da rede no País. O evento trata de 42 temas de intervenção social.

Dez empresas brasileiras participaram do Brazilian Rice no Peru, país estratégico na parceria comercial.

A Febracis promove em Brasília, de 16 a 18 de novembro, a 197ª edição do Método CIS.

Comentários