Segurança Pública: Governo de transição em Brasília recorre à tecnologia de Israel

Além do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que pretende estreitar laços com o país, uma leva de novos governadores prepara caravana para conhecer os produtos que podem auxiliar suas polícias

Por Leandro Mazzini

Rio - Virou uma febre no governo de transição em Brasília e entre governadores que estreiam na gestão de seus estados recorrer à tecnologia de Israel - considerada a melhor do mundo - quando o assunto é Segurança Pública e combate ao terrorismo. Além do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que pretende estreitar laços com o país, uma leva de novos governadores prepara caravana para conhecer os produtos que podem auxiliar suas polícias.

Só um exemplo

Alguns equipamentos israelenses já são utilizados pela Polícia Federal. Como uma câmera de vídeo que capta, a quase um quilômetro, o som da conversa entre duas pessoas.

Cotado

Guilherme Schelb, de Brasília, é o cotado para ser futuro Procurador-Geral da República.

Sem partido

Campeão de votos em Goiás, o senador eleito Jorge Kajuru procura partido. Por causa da incorporação do seu PRP ao Patriota.

Maia na mão

Rodrigo Maia (DEM-RJ), o atual presidente da Casa e que articula para se manter no cargo, em fevereiro, tem como padrinho Onyx Lorenzoni (DEM-RS), futuro chefe da Casa Civil. Mas o poder de Onyx em emplacar ministros está deixando o carioca na mão.

Polêmica 1

O deputado federal eleito por Brasília, Luís Miranda, um youtuber que mora nos EUA, está com um pepino com a Justiça eleitoral e corre risco de ser cassado. Por abuso de redes sociais e até distribuição de iPhones a potenciais eleitores

Sem apoio

PR e outros partidos se unem no Congresso para tentar fazer chegar ao presidente eleito o pleito de manterem pastas da infraestrutura, que serão entregues a militares.

Polêmica 2

O homeschooling, o 'ensino domiciliar' comum nos Estados Unidos, conta com a simpatia do novo ministro da Educação, o filósofo Ricardo Vélez Rodriguez.

Oi e tchau

Com a entrada do deputado Laerte Bessa (PR-DF) no gabinete institucional do GDF, assumirá por um mês na Câmara o deputado Joaquim Roriz Neto (PROS-DF), sem poder discursar nem apresentar projetos, já que há recesso em janeiro.

Conservador

Senador eleito, o empresário Eduardo Girão (PROS-CE), que deixou Eunício Oliveira sem mandato, já mandou avisar ao Planalto que terá pauta conservadora: contra aborto, drogas, jogatina e economia de gastos no mandato.

Resistência à 'bala'

deputado federal João Campos - AGÊNCIA CÂMARA

O delegado licenciado e deputado federal João Campos (PRB-GO), aliado de primeira hora do presidente eleito, Jair Bolsonaro, tem aval dele para ser um dos candidatos à presidência da Câmara, mas esbarra na indiferença da equipe de transição e até de parlamentares da bancada da bala, que representa.

Comentários