Apoio do PCdoB a Maia desgasta de vez relação com o PT

Além do PCdoB e PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, 11 bancadas que somam mais de 300 deputados embarcaram na campanha de Rodrigo Maia

Por Leandro Mazzini

Brasília - O indicativo do PCdoB de apoio à reeleição do democrata Rodrigo Maia (RJ) para a presidência da Câmara irritou militantes do partido Brasil afora e desgastou de vez a relação com o Partido dos Trabalhadores (PT), aliado histórico.

Além do PCdoB e PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, 11 bancadas que somam mais de 300 deputados embarcaram na campanha de Maia. Para o ex-ministro da Justiça do governo Lula, Tarso Genro (PT-RS), o apoio do PCdoB favorece Bolsonaro e "não a união democrática".

Erro

Tarso Genro diz não ter visto "argumento consistente" na nota do também ex-ministro do governo Lula e líder do PCdoB, Orlando Silva (SP): "PCdoB erra gravemente". No comunicado, Silva diz que o objetivo (com o apoio a Maia) dos comunistas é criar "as melhores condições possíveis para que a oposição exerça a resistência democrática".

PDT

O PDT, partido do candidato derrotado à Presidência Ciro Gomes, também anunciou apoio a Maia. O próximo passo, projeta o democrata, é fechar com o PSB e garantir a reeleição no primeiro turno.

Terrorismo

O deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), futuro líder do Governo Bolsonaro, é autor de um dos projetos (PL 5825) que "estabelece um marco legal do combate ao terrorismo". Vitor Hugo era consultor da Câmara e apresentou o texto ao então deputado Jair Bolsonaro que protocolou a proposta em 2016.

Crimes

No texto, que tramita na Comissão de Defesa Nacional, Vitor Hugo e Bolsonaro defendem "a tipificação de crimes específicos de desobediência de maneira a potencializar a autoridade do responsável, civil ou militar". Bolsonaro, parlamentares aliados e integrantes do governo defendem a tipificação de movimentos sociais como organizações terroristas.

Armas

Mais de 950 mil pessoas se manifestaram, até ontem, pelo portal do Senado, contra a convocação de um plebiscito para revogar o Estatuto do Desarmamento. A favor da proposta (PDS 175/2017), votaram 731 mil pessoas.

Armas 2

No plebiscito, pela proposta, o cidadão responderia a três perguntas: se deve haver porte de armas para quem reside na área rural, se o Estatuto do Desarmamento deve ser revogado para permitir o porte de armas ou se a permissão deve ser apenas para a posse de armas.

Rochas

As exportações de rochas orçamentais encerraram o ano de 2018 com um montante de US$ 992,5 milhões. Os três principais destinos foram EUA, China e Itália. O Brasil ocupa a quarta posição de países que mais produzem pedras naturais.

Espírito Santo

O Espírito Santo é o principal estado exportador brasileiro, respondendo por US$ 791,3 milhões das exportações, o equivalente a 79,37% do total de faturamento do País.

Bahia

Única agência do Banco do Brasil de Arraial D'Ajuda (BA), cidade turística que lota no verão, está inativa depois da tentativa de assalto na última semana. Funcionam apenas os caixas eletrônicos sem opção de saque. Turistas e moradores estão tendo que viajar para Porto Seguro para sacar dinheiro.

Vetos

Presidente Bolsonaro vetou dois dispositivos do Orçamento de 2019 que destinariam R$ 50 milhões para reestruturação das carreiras Incra e R$ 10 milhões à criação de um fundo especial para o Conselho Nacional de Justiça. Justificou, sobre o CNJ, que a destinação de recursos "iria contra o novo regime fiscal e o teto de gastos públicos".

Sob nova direção

O Conselho Federal de Administração (CFA) elegeu o novo comando para o para o biênio 2019/2020. O novo presidente, Mauro Kreuz, e seu vice, Rogério Ramos, conselheiros federais por São Paulo e Tocantins, respectivamente, liderarão os processos da autarquia com a proposta de gestão compartilhada. O compromisso será pela valorização da união dos Conselhos Federal e Regionais de Administração com todos os profissionais engajados pela profissão no Brasil.

Esplanadeira

82% das vagas do último edital do Programa Mais Médicos foram preenchidas, de acordo com o Ministério da Saúde. Com a publicação do resultado dos selecionados na segunda chamada, mais de 7 mil médicos com registro no Brasil se apresentaram aos municípios.

Comentários