Bolsonaro e Osmar Terra comemoraram veto da Anvisa ao plantio de maconha

O canabidiol, vendido em diferentes medicamentos com efeito eficaz para tratamentos esclerose e epilepsia, entre outras doenças, chegará ao Brasil a R$ 2 mil

Por Leandro Mazzini*

Lula viveu por mais de 40 anos no ABC; com Janja, planeja novos ares
Lula viveu por mais de 40 anos no ABC; com Janja, planeja novos ares -
Brasília - O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Cidadania, o médico Osmar Terra, comemoram discretamente o fato de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária não liberar o plantio de cannabis sativa para fabricação de canabidiol no Brasil. Mas a turma do andar de cima se esqueceu dos pobres. E os laboratórios estrangeiros que vão vender nas farmácias agradecem.
O canabidiol, vendido em diferentes medicamentos com efeito eficaz para tratamentos esclerose e epilepsia, entre outras doenças, chegará ao Brasil a R$ 2 mil, por baixo. Tem gente que gasta o triplo desse valor por mês.
Burocracia
A Anvisa toca nos próximos meses mais dois processos, ainda, para o canabidiol enfim ir para as prateleiras. Um deles, a autorização para os importadores.
Conitec na fila
Em outro, laboratórios pedirão à Conitec – Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS autorização para propor a venda para o Ministério da Saúde - SUS.
Na mão
Conforme a Coluna apurou, a Anvisa já tem uma lista de medicamentos à base de canabidiol à qual vai dar prioridade na liberação do comércio.
Presentão
O TSE deu presente de grego ao Aliança pelo Brasil. O novo partido de Jair Bolsonaro é abstrato enquanto o tribunal não regulamentar a coleta de assinaturas eletrônicas. Não há previsão de entrar em pauta. Talvez em um ou dois anos. Há quem aposte em rixa de ministros com o ex-colega Admar Gonzaga, que cuidou do estatuto do APB.
Sem bolsonaristas?
O APB corre o risco de não disputar as prefeituras em 2020, e a onda bolsonarista evaporar. Entre os bolsonaristas próximos ao presidente, bateu o arrependimento de não terem fechado com o Patriota, que abriu as portas como opção de filiação.

Bairrismos
Com Lula da Silva na ficha suja, o PT joga na praça nomes para tentar cativar a militância e convencer o Barba a apoiar um eventual candidato ao Planalto em 2022. Os bairrismos impressionam. No Piauí, o presidenciável é o governador Welington Dias. Na Bahia, é Jaques Wagner – ou o sucessor apadrinhado Rui Costa, bem avaliado. A gauchada fala em Tarso Genro. E a ala paulista cita, claro, Fernando Haddad.
No mais
Lula, no fundo da consciência, afaga a todos, mas só pensa em seu nome para a disputa. E sonha com o presente do STF para anulação de suas condenações.
Infiltrados
Os deputados suspensos por capo Luciano Bivar do PSL pretendem recorrer à Justiça para não perderem seus cargos em comissões e outras prerrogativas do mandato. É um troco de Bivar ao grupo bolsonarista que, estrategicamente, permaneceu no PSL.
Vai ter volta
"A suspensão é ato arbitrário de uma ala do partido que age como uma quinta-coluna numa guerra. Querem nos suspender para que não possamos assinar mais listas e assim tomar a liderança do Eduardo Bolsonaro", reclama o deputado Carlos Jordy (PSL-RJ).
Sem freios
A Associação Nacional das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiro (ANATRIP) chiou com as decisões recentes da ANTT. Esclarece que "o movimento de desregulamentação retirou direito dos usuários de ônibus". Cita, por exemplo, limitação a direitos dos deficientes, risco de cancelamentos de viagens programadas.
Frota
A ANATRIP também aponta risco da decisão da ANTT sobre a desobrigação de as viações renovarem as frotas com mais freqüência. A frota já é ruim, imagine o leitor sem novos veículos...
Gá$
A Petrobrás fez em Sergipe sua maior descoberta desde o pré-sal, em 2006. De seis campos, espera extrair 20 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural, o equivalente a um terço da produção total brasileira. Na segunda, será lançado o Fórum Sergipano de Petróleo e Gás, sobre o potencial do Terminal de Armazenamento e Regaseificação de GNL da CELSE.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários