Cadê elas?

As legendas não têm, aliás, mulheres dispostas a se candidatar

Por Leandro Mazzini

Romeu Zema, governador de Minas Gerais
Romeu Zema, governador de Minas Gerais -
Brasília - É o maior desafio político-partidário do ano que se inicia: Os partidos não têm planos
para candidaturas femininas e para atender a cota de 30% do fundo eleitoral destinado
às campanhas femininas, regra do Tribunal Superior Eleitoral. As legendas não têm,
aliás, mulheres dispostas a se candidatar. É um problema nacional. Com o inquérito
policial sobre as candidatas ‘laranjas’ do PSL, que já rendeu indiciamento do ministro
do Turismo, Marcelo Álvaro (ex-coordenador do partido em Minas) e do presidente da
legenda, Luciano Bivar, os partidos correm contra o tempo para atender a exigência e
evitar problemas na prestação de contas.

Planejamento
Em outubro, o DEM lançou ofensiva nacional, nos diretórios, para angariar filiadas.
Outras legendas, bem atrasadas, estudam planos para filiações.

Déficit nacional
Segundo dados nas mãos dos ministros do TSE, o Brasil tem hoje 1.291 dos mais de 5
mil municípios sem uma vereadora eleita. E em outras 1.963 cidades, só há uma mulher
na Câmara.

Novos reitores
O MEC confirmou à Coluna que as quatro universidades federais que já enviaram listas
tríplices com indicados a reitor estão imunes à MP que determina eleição para o cargo.
São elas: UFRR, Univasf, UFES e UFSJ.

Pista livre
O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO), usou do bom senso para aliviar
o saldo do servidor do Estado, ativo e aposentado. Assinou o Decreto 47.820 que
prorroga prazo de pagamento de IPVA para quem não receber parcela do 13º salário
prometida para Dezembro. Mas o restante da população que não é funcionário público
vai ter que se virar para pagar a dívida.

Espólio
Zema herdou o Estado endividado, quase falido, do governador derrotado Fernando
Pimentel. E com o funcionalismo público recebendo em parcelas (atrasadas).

Veterano & Novatos
A inauguração do 3º Centro Comunitário da Paz no Recife virou um ato político. O
prefeito Geraldo Julio (PSB) afagou em público o deputado federal João Campos, filho
do ex-governador Eduardo. Disse que é legítimo representante de uma juventude que
tem futuro. Já o correligionário Felipe Carreras (PSB), também federal, também opção
do partido para disputar a prefeitura, ficou chupando dedo.

Fora do ar
Ontem foi o primeiro dia sem a TV Escola, administrada pela Associação de
Comunicação Educativa Roquette Pinto sob tutela do MEC. O ministro Abraham
Weintraub patrocinou um esvaziamento do órgão que produzia conteúdo para
professores, pedagogos e alunos.

Crime histórico
Turistas que entraram na igrejinha de Caraíva (BA) ontem, durante a festa do samba,
quebraram uma pia numa parede lateral, e no altar uma imagem de São Sebastião,
padroeiro da paróquia. A construção tem mais de 480 anos e não tem câmeras.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários