Off-Carnaval: Carnafunk de Guaratiba - Divulgação
Off-Carnaval: Carnafunk de GuaratibaDivulgação
Por O Dia
Depois de processar a Ambev e a Kondzilla Filmes por apropriação intelectual na publicidade da bebida Skol Beats 150 BPM, DJ Polyvox, criador da batida 150 BPM e idealizador do movimento no funk, agora entrou na última segunda-feira, por meio do plantão judiciário, com um pedido para acionar Anitta na mesma ação. Segundo a advogada Regina Manssur, que representa o funkeiro, houve um entendimento de que Anitta não é apenas a garota propaganda do produto.
"Depois que começamos a estudar mais o processo, nós vimos que ela também é meio que sócia do negócio, é empreendedora também. Ela também está cuidando na promoção. Nós vamos entrar com uma ação contra ela por causa da criação da propaganda que leva o nome criado por ele", disse a defesa do DJ.
Publicidade
De acordo com o processo de número 1129258-76.2019.8.26.0100 que tramita na Comarca de São Paulo, o DJ Polyvox alega que o nome idealizado por ele está sendo usado sem autorização para publicidade da nova bebida da cervejaria. Em decisão mais recente do último o dia 21, o desembargador Natan Zelinschi de Arruda entendeu que como o nome '150 BPM' está vinculado diretamente a Polyvox, e o mesmo consta na embalagem da bebida roxa sem sua autorização, a publicidade de 'Skol 150 BPM' deve ser retirada do ar. Na sentença, ele também pediu que a Ambev e Kondzilla sejam intimadas sobre a decisão para que entrem com seus devidos recursos para contestação.
Anitta, a nova chefe de criação e inovação da Ambev, foi figura presente em todo lançamento da bebida roxa que vem dando dor de cabeça aos empresários da multinacional. Em entrevista na época do lançamento, Anitta explicou que batizou a bebida inspirada no funk 150 BPM. Vale lembrar que Anitta e Ambev já foram advertidos pelo Conar, órgão fiscalizador de publicidades, após a reclamação de um consumidor a um post de Anitta em seus stories. A contestação era pelo fato do público da cantora ser predominantemente jovem e a bebida ser alcoólica. Após a reclamação, o órgão ainda emitiu advertência na mesma ocasião por outros 2 pontos: falta da exibição da frase que recomenda o consumo responsável de bebidas alcoólicas e o apelo direto de consumo ao produto. Segundo a assessoria de Anitta, a cantora não pode se pronunciar pois não foi notificada oficialmente.
Publicidade
Além da Ambev, Polyvox também aciona a Kondzilla Filmes no mesmo processo, por conta da veiculação dos clipes de funks clássicos que foram regravados na versão acelerada da batida 150 BPM e divulgados no canal do YouTube da produtora. Os clipes de 'Já É Sensação' e 'Glamurosa' na nova versão assinada pela Kondzilla são uma parceria da Kondzilla com a Skol para o lançamento da bebida 150 BPM. Segundo Regina Manssur, Polyvox aceitou o convite de participar de um dos clipes, mas pra ele omitiram a parceria comercial.
"Ele foi chamado pra fazer um clipe pra contar a história da música dele. No clipe ele não falava nada sobre a bebida. Ele acelerou a música do clipe. Aí pegaram o clipe, colocaram Skol e enfiaram no meio da campanha, porque a campanha chama 150 BPM. Não chamaram ele e disseram que lançariam uma bebida e usariam o clipe para divulgação. Também não pediram pra usar o nome que ele criou. Agora eu já soube que depois da ação estão atrás do meu cliente querendo que ele assine um documento, mas ele não vai assinar nada", declarou a advogada.