Maria Zilda Bethlem - Divulgação
Maria Zilda BethlemDivulgação
Por O Dia
Maria Zilda Bethlem continua impossível. Durante uma live com o ator Murilo Rosa em seu perfil no Instagram na noite desta sexta-feira (30), a atriz contou que desceu ao inferno nas gravações da novela 'Bebê Abordo', em 1988.  Ela fazia par romântico com José de Abreu e sofreu horrores com  mau hálito do colega de profissão. "Era uma coisa insuportável", detonou.
Na trama de Carlos Lombardi, Maria Zilda era Ângela, uma solteirona apaixonada pela voz de um locutor de rádio, com quem tinha sonhos sensuais apesar de nunca ter conhecido pessoalmente."Eu tinha uma paixão [na trama]. E [nas cenas] só apareciam os pés do personagem porque era tudo fruto da minha imaginação. Até que decidiram quem seria o ator [para interpretar]. Foi decidido que seria o José de Abreu. Ele estava numa fase muito doida. Bebia demais. E ele estava tão compulsivo que tinha umas cenas que a gente ficava amarrado numa árvore, um de costas para o outro. Você sabe que ele obrigava o contrarregra a dar a cachaça na boca?", relembrou deixando Murilo Rosa sem graça.
Publicidade
Ela continuou: Então, cara, quando era cena de beijo… Porra, a pessoa que fuma pra caramba. Sabe?", exclamou. "A pergunta foi: você já beijou alguém com bafo? Já! Era uma coisa insuportável. Evidentemente, ele bebia. Era [cena] externa. Ele suado e já tinha o cheiro do suor, mais o do cigarro, mais o da bebida. Era uma coisa insuportável. O Zé era um bicho".
 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Maria Zilda Bethlem (@mzbethlemoficial) em