Carlos Bolsonaro, filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, e vereador do município do Rio de Janeiro
Carlos Bolsonaro, filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, e vereador do município do Rio de JaneiroCaio César/Câmara
Por O Dia
A polêmica criada por Carlos Bolsonaro em cima da viagem em família de Angélica e Luciano Huck para o Caribe, na ilha Saint-Barth, pode custar alguns dólares a ele. É que o vereador do Rio compartilhou algumas imagens do lazer dos apresentadores  da Globo e os criticou por estarem viajando no meio da pandemia - depois de muito pedirem para as pessoas ficarem em casa. Mas ele não sabia que trata-se de conteúdo de uma agência de fotos americana, a Grosby Group. As fotos foram vendidas com exclusividade para um veículo do grupo Globo, ou seja, sem a autorização devida, Carlos Bolsonaro não tinha o direito de replicar os cliques.
Francisco Cepeda, representante da Grosby Group no Brasil, afirma que o vereador será notificado sobre o uso indevido das imagens e que pode ter suas contas nas redes sociais derrubadas por conta disso. "Esse material foi vendido com exclusividade para a Editora Globo. Quem fez foi um fotógrafo francês que está passando uma temporada na ilha. É o trabalho do cara. Qualquer outra pessoa não pode simplesmente fazer um print e ficar usando. Vamos entrar em contato, se não tivermos nenhum tipo de resposta, vamos pedir a derrubada das redes sociais. Se ainda assim não tiver nenhum tipo de acordo, vamos para a Justiça.", disse.
Publicidade
Francisco revela que embora o conteúdo tenha sido vendido com exclusividade, a agência está disposta a propor um acordo para que Carlos Bolsonaro pague 300 dólares para ter o direito a manter a publicação, caso ele queira.
A coluna coluna procurou o vereador para saber se ele pretende retirar as imagens de suas publicações, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria.