Opção pelo mais pobre

Todos nós vivemos momentos angustiantes com a pandemia do coronavírus, mas devemos perceber que ela acentuou a difícil situação dos pobres e o grande desequilíbrio que reina no mundo

Por Padre Omar

Esta semana o tempo esfriou em grande parte do Brasil. Percebemos que o inverno chegou, clima bom ficar na cama quentinha, vendo filme ou lendo jornal. Mas você já parou para pensar naqueles que não têm onde morar? Quantas pessoas estão nas ruas passando frio e fome, quantos pais não têm um agasalho para dar aos seus filhos?

Vivemos momentos angustiantes com a pandemia, e ela acentuou a difícil situação dos pobres e o grande desequilíbrio que reina no mundo. O Papa Francisco falou que a resposta à pandemia deve ser dupla: encontrar a cura para o vírus do corpo e curar o grande vírus da injustiça social.

Nesta resposta de cura há uma escolha que não pode faltar: a opção preferencial pelos pobres. Ela não é política, nem ideológica. A opção preferencial pelos pobres está no centro do Evangelho.

O próprio Cristo não escolheu uma vida de privilégio. Nasceu em uma família humilde e trabalhou como artesão. No início da sua pregação, anunciou que no Reino de Deus os pobres são bem-aventurados. Estava sempre no meio dos doentes, pobres e excluídos.

A fé e o amor nos impulsionam para esta preferência, que vai além da assistência necessária. Trata-se de caminhar junto, deixando-se evangelizar por eles, que conhecem o Cristo sofredor. Partilhar com os pobres significa enriquecer-se uns aos outros. É tempo de agir, não vamos deixar o nosso irmão sentir frio enquanto estamos no aconchego do nosso lar.

Comentários