As lives devem modificar o mundo dos shows

Por Flavio Ricco

A situação dos dias de agora, com isolamento das pessoas dentro de casa, propiciou a criação das lives, também como novo mercado comercial na área de shows.

De casa, de um estúdio ou de onde bem entendem, cantores, cantoras ou conjuntos musicais passaram a atingir milhões de pessoas.

Em alguns casos, com patrocínios e até transmissão por TV, como Ivete Sangalo no sábado, e possibilidades de alcançar um público ainda maior.

Então, acaba se concluindo que uma live tem todas as condições de superar em muito qualquer grande show feito num estádio de futebol de maneira presencial ou megacasa de espetáculos.

Da maneira que a população está receosa de ir a lugares fechados, dificilmente teatros e cinemas terão público no decorrer dos próximos meses. E também passam a ser enormes as possibilidades desta nova forma, pelo conforto e segurança que representam, se consolidar de maneira definitiva no gosto do público e até dos próprios artistas.

Esta, sim, é uma questão para os próximos tempos.



A que ponto

Esse lance das lives chegou a tal ponto que todas as grandes redes de TV, em seus planos comerciais, já incluíram este novo produto.

Um movimento ou negócio que só deve crescer.


Que momento!

Ao telespectador, diante da situação atual, agora também cabe o trabalho de procurar o noticiário isento e imparcial.

Nunca, como nos dias atuais, isto se constituiu em problema: em quem acreditar?


Faça a prova

Tente você mesmo, em todos os telejornais da TV aberta, verificar como uns são diferentes dos outros na abordagem dos mesmos assuntos. Ou como alguns nem são abordados.

Os interesses em jogo são bem declarados. E a chapa nunca foi tão branca.


E os sorteios?

SBT, Record, Rede TV! e Band, independentemente de tudo e do coronavírus, continuam entusiasmadas com a volta dos sorteios na televisão. Não pensam em outra coisa.

E esperam novidades para os próximos dias. Algumas até já tomando todas as providências.

Fica a pergunta: Com coronavírus, pessoas desempregadas e outras com cortes de salários, a economia desse jeito, é hora para levar à frente uma coisa dessas?

Até desumano.


Interessante

O tempo passa, o mundo gira, mas parece que para alguns a vida não ensina muita coisa.

O grupo de TVs agora entusiasmado com sorteios é praticamente o mesmo que, desconfiando do Ibope, foi responsável pelo desastre da GFK e depois arrumou briga com as operadoras da TV paga. Um prejuízo atrás do outro, mas ainda assim estão sempre atrás de uma novidade. Fazer televisão que é bom, parece que não pensam.


Exceção

A TV Canção Nova, canal 59 em São Paulo, emissora católica, é um ponto fora da curva.

Sediada na cidade de Cachoeira Paulista, é a TV de cunho religioso que mais dá espaço ao jornalismo.


Dona de si

Suzana Pires, atualmente na edição especial de “Fina Estampa”, fez uma live com Angélica e o papo, acompanhado por 11 mil pessoas, vai ao ar na íntegra na plataforma “Mundo Dona de Si”, que ela lança em maio.

Trata-se de mais um braço de seu projeto de empreendedorismo feminino.


Nova jornada
O canal History estreia dia 2, às 21h30, o programa “Inexplicável”, com apresentação e coprodução de William Shatner, o eterno capitão Kirk de “Star Trek: Jornada nas Estrelas”.

Em oito episódios, histórias assombrosas e surpreendentes sobre o inexplicável, incluindo do Brasil, com análises científicas dos eventos.



Fique em casa

É interessante a situação: o Ratinho queria voltar a fazer programa a partir de amanhã. Toda a sua produção foi convocada e naturalmente atendeu ao chamado. Quando chegaram ao SBT para trabalhar, veio a contraordem: ”todos de volta para casa”. Evidente que, no meio de tudo, um climazinho meio carregado.

A coluna só contou a história. E agora estão furiosos com ela.



Análise positiva

A direção da CNN Brasil entende como bem positivo o seu primeiro mês de operações.

Apresentou furos, em alguns momentos teve audiência muito boa e com repercussão satisfatória nas redes sociais. Há o desejo de seguir por aí.



Última semana

A exibição de “Avenida Brasil” no “Vale a Pena” chega ao fim na próxima sexta-feira, dia 1º, alcançando grandes índices de audiência para o horário.

Sem dúvida, a diretora Amora Mautner, a exemplo de autor, elenco, produção..., contribuiu muito para isso.



Momento marcante



Para Amora, o momento mais marcante de “Avenida Brasil”, entre tantos, aconteceu no começo, “quando gravamos a cena da Carminha jogando a Rita (Mel Maia) no chão”.

“Percebi a força da novela”, conta a diretora. Sobre o sucesso da reprise, afirma que “quando o produto é bom, é difícil ficar datado, consegue passar pelo tempo”.



Bate – Rebate

· Nesta segunda-feira, às 23h, o “Realidade”, da CNN Brasil, apresenta o último episódio da série de documentários “Dinastias Americanas: Os Kennedy”.

· Ex-SBT, Maurício Manfrini, o Paulinho Gogó, estreia a segunda temporada da série “O Dono do Lar”, dia 29 no Multishow.

· O “Central Fox”, no Fox Sports, volta em duas edições, uma às 12h15 de segunda a sábado e outra às 20h...

· ... A apresentação será revezada por Edu Elias e Daniela Boaventura.

· Na última sexta-feira, a Band decidiu romper o contrato com Silvia Poppovic...

· ... Mas além dela, algumas outras mudanças estão sendo pensadas para o “Aqui na Band”...

· ... E já planejadas para acontecer quando terminar todo esse drama do coronavírus ...

· ... Há o entendimento que o programa tem um custo muito elevado para a sua baixa audiência.

· Empresário e artista, Luccas Neto vai comandar a primeira live voltada para as crianças nesta quarentena...

· ... "Luccas Neto em: A Pedra do Poder sumiu!" será na sexta-feira, às 18h, em seu canal no Youtube - que tem mais de 29 milhões de inscritos.



C´est fini

Antes da pandemia da Covid-19, estava combinado que a preparação com elenco de “A Morte Pode Esperar”, substituta de “Salve-se Quem Puder”, começaria este mês, as gravações em maio e estreia em 27 de julho.

Reservados para o elenco: Giovanna Antonelli, Mateus Solano, Elizabeth Savalla e Vladimir Brichta. O coronavírus não deixou iniciar sequer a preparação. Drama.



Ficamos assim. Mas amanhã tem mais. Tchau!

Comentários