Partidos devem fechar acordos para coligações de deputados estadual e federal

Quem tiver menor potencial de votos, o chamado 'rabiola', já tem o futuro traçado: vai virar mero cabo eleitoral, ficando de fora do pleito deste ano

Por Cassio Bruno (interino)

Rio - Por causa da falta de dinheiro, a tendência é de que os partidos políticos fechem acordos para a formação de coligações proporcionais (deputados estadual e federal). Quem tiver menor potencial de votos, o chamado "rabiola", já tem o futuro traçado: vai virar mero cabo eleitoral, ficando de fora do pleito deste ano.

Explico: as legendas enxugarão o número de candidaturas e concentrarão os recursos do fundo eleitoral em quem tem chance real de vitória. No Rio, por exemplo, os caciques começaram a tratam do assunto. Isso significa que iniciaram o corte daquele político sem força nas urnas. No Brasil, existem ao todo 35 partidos que terão direito a R$ 1,7 bilhão.

Que timaço!

Rodrigo Maia articula chapão para eleger Eduardo Paes governador pelo DEM. Inclui MDB, PR, PP e PTB, entre outros. Significa a união de Cabral (preso), Picciani (em prisão domiciliar), Pezão (citado na Lava Jato), Valdemar da Costa Neto (ex-preso condenado no mensalão), Roberto Jefferson (idem) e Francisco Dornelles.

Alô, é do Inea?

O prefeito de Itaboraí, Sadinoel Souza (PMB), reclamou, num evento há poucos dias, não ter contado com a boa vontade do Inea. Foi pedir uma retroescavadeira para limpar rios e canais. Ouviu o seguinte: "Vai conseguir quantos votos para o André Corrêa?" O deputado do DEM foi secretário do Ambiente de Pezão.

Conversa de bêbado

Geraldo Alckmin (PSDB) também patina nas redes sociais. Faça o teste: vá ao Facebook oficial dele e pergunte qualquer coisa no privado. A resposta é genérica e nada tem a ver com o assunto abordado.

Do nosso bolso

Veja quanto os senadores do Rio já gastaram este ano com verba de gabinete. Eduardo Lopes (PRB), R$ 165 mil. Lindbergh Farias (PT), 138,5 mil. Romário (Podemos), R$ 125,6 mil. Com passagens aéreas, o petista usou mais da metade: R$ 70 mil. O ex-jogador, R$ 49 mil. Lopes, R$ 29 mil.

Perigo, perigo!

Alguns vagões de trens da Supervia estão circulando sem o extintor de incêndio. A foto acima foi feita ontem por um passageiro.

Ditadura militar

Estudo inédito da PUC-Rio mostra que grande parte dos materiais ainda utilizados pela cartografia brasileira é do período da ditadura militar. O objetivo é atualizar essas informações, que impactam diretamente no planejamento das cidades.

Leilões

A Justiça do Rio criará um cadastro de leiloeiros e corretores de imóveis para participarem de leilões judiciais. Em todo o estado, são realizados anualmente 1.800, com arrecadação perto de R$ 600 milhões.

Marcos Vinícius

A conta é da ONG Rio de Paz: de 2007 a 2018, 50 crianças morreram vítimas de balas perdidas no estado do Rio. Ou seja: 50 famílias destruídas ao enterrarem seus filhos.

Comentários