André Ceciliano acusa milicianos de impedirem campanha eleitoral em Niterói

'O vereador Renato Cariello, do PDT, ex-PM que tem envolvimento com a milícia, deu a determinação de que só se pode fazer campanha para o (Paulo) Bagueira', disse parlamentar

Por PAULO CAPPELLI

Ceciliano durante campanha nesta sexta, em Mendes
Ceciliano durante campanha nesta sexta, em Mendes -

Rio - Presidente em exercício da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT) acusa milicianos de impedirem candidatos de fazer campanha eleitoral em Niterói, no bairro Engenhoca. "O vereador Renato Cariello, do PDT, ex-PM que tem envolvimento com a milícia, deu a determinação de que só se pode fazer campanha para o Bagueira. Ele ameaçou pessoas que distribuíam panfleto para mim", disse. Paulo Bagueira (SD) é o atual presidente da Câmara de Niterói (SD), que concorrerá a deputado estadual. "Vou acionar a corregedoria da Polícia Militar para que possa punir Cariello", afirmou Ceciliano, nesta sexta-feira.

Em agosto, o Ministério Público do Rio começou a analisar escuta telefônica que indica compra de votos não com milicianos, mas com traficantes do Morro do Cavalão o crime beneficiaria Bagueira. O vereador Renatinho da Oficina (PTB) também é investigado pelo MP. Carielo não foi citado.

Segue

A Coluna tentou, sem sucesso, contato com os vereadores Bagueira e Cariello, no fim da tarde desta sexta-feira, por meio dos telefones da Câmara de Niterói.

Falta de solidariedade

O clima no Solidariedade, o SD, está nebuloso. Candidatos a deputado federal estão uma fera com Áureo, presidente do partido no Rio. Parlamentares como Iranildo Campos e Tio Carlos, que tentam trocar a Alerj por Brasília, dizem que Áureo só dá tempo de propaganda na televisão a candidatos que, na verdade, fazem campanha para o próprio Áureo. A dupla de indignados tem dito que Áureo se coloca como "dono no partido".

Pergunta infame

Será que falta solidariedade ao Solidariedade?

O tal fundo partidário

E a intriga não para por aí. Candidatas do PSD não perdoam Indio da Costa, nome do partido ao governo. Dizem que o deputado federal não tem transferido corretamente o repasse de 30% do fundo partidário para mulheres da legenda. Postulante a deputada estadual, Renatta Marinho (PSD), uma das indignadas, usou o Facebook para divulgar mensagem que enviou a Indio no WhatsApp: "Você é um hipócrita, mentiroso e comedor de verbas. Judas." Eita!

Aditivado

A prefeitura publicou no Diário Oficial duas notas de empenho, no total de R$ 910 mil, referentes ao 4º termo aditivo com a FSB Estratégia em Comunicação. Atenta, a vereadora de oposição Teresa Bergher (PSDB) calculou que o valor do contrato inicial de R$ 7,9 milhões com a FSB, em 2015, chega hoje a R$ 27,9 milhões, uma turbinada de 250%. Teresa pedirá ao Tribunal de Contas do Município que analise o contrato.

Falando nela

Teresa recebeu até agora do PSDB, na sua campanha à Câmara dos Deputados, R$ 94 mil. Valor bem menor que o angariado pelo presidente estadual da sigla, Otavio Leite, deputado federal candidato à reeleição: R$ 1,1 milhão. Tucana que tenta o Senado, Aspásia Camargo, por sua vez, embolsou R$ 642 mil, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral.

Bacana

Secretário estadual de Educação, Wagner Victer raspou a cabeça. Tomou a atitude para dar força à mãe, Dona Leda, que enfrenta um câncer e, por conta da quimioterapia, vem perdendo cabelo.

Comentários