Degase: Central de Regulação de Vagas provoca racha no MP-RJ

Enquanto dois promotores defendem a racionalização das vagas no sistema socioeducativo, outros 12 assinam documento pedindo o contrário.

Por Maria Luisa de Melo

Operação é realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ)
Operação é realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) -
A adoção da Central de Regulação de Vagas - órgão criado para racionalizar a aplicação de medida socioeducativa aos jovens infratores, por conta da superlotação nas unidades - está provocando um verdadeiro racha no Ministério Público do Rio (MP-RJ). Ainda em maio de 2017, dois promotores firmaram acordo com a Procuradoria Geral do Estado e a Defensoria Pública para a criação da Central. Mas o órgão nunca operou, freado por recursos de outros promotores. Este mês, a coisa ficou mais séria. Com a proximidade da Central tornar-se realidade, a procuradora Flávia Ferrer apresentou um embargo de declaração para tentar barrar, novamente, a iniciativa.

Ferrer alega que a decisão judicial que mantinha a criação do órgão era "omissa e contraditória". O documento é assinado por outros 12 promotores de Justiça. Mas a nova investida contra a Central não intimidou a atuação da dupla favorável. Juliana Pagan e Rogério Pacheco tem reunião marcada para a próxima quinta (13), com representantes do Degase. Vão acertar os detalhes que faltam para colocar a Central em funcionamento. Assim, novos internos só serão admitidos após uma avaliação do crime cometido. A coluna procurou a assessoria do MP-RJ para saber a posição da instituição sobre o caso, mas não teve retorno até o fechamento desta edição.

PIOR MOMENTO, IMPOSSÍVEL...

Depois de o "Intercept Brasil" divulgar mensagens mostrando que Sergio Moro orientava ações de procuradores da Lava Jato quando era juiz, a deputada estadual Alana Passos (PSL) conseguiu colocar em pauta a votação para entrega da Medalha Tiradentes ao ministro. Ao postar a iniciativa nas redes, foi duramente criticada. "Não entendo isso. Brasil acima de tudo. Mas se cometeu erro e está do meu lado que se dane a ética", disparou um internauta, no Facebook.

AUDIÊNCIA SOBRE COTAS TERMINA EM CONFUSÃO
A audiência pública para discutir o projeto que prevê a extinção das cotas raciais nas universidades do Rio terminou em confusão, ontem, na Uerj. Após provocarem os estudantes que defendem a reserva de vagas, os deputados do PSL foram embora. Os alunos foram atrás, para protestar. Um deles acabou ferido no supercílio por um homem que estava na comitiva do deputado Rodrigo Amorim.


FURNA DA ONÇA: TRF-2 CONVOCA SEIS DEPUTADOS
As oitivas da operação "Furna da Onça", que levou cinco deputados estaduais para a prisão, começaram ontem e vão até quinta. No rol de testemunhas convocadas para prestar depoimentos estão seis deputados do Rio - sendo quatro estaduais.
GRUPO SE DIZ SURPRESO
A convocação veio da defesa do deputado afastado Luiz Martins . Na lista dos chamados estão Paulo Ramos, Rosângela Gomes, Martha Rocha, Carlos Minc, André Ceciliano e Luiz Paulo, que se diz "muito surpreso".
TRANSPARÊNCIA, POR FAVOR
Foi aprovado há duas semanas um projeto que determina licitação para contratar empresa para gerir dados do RioCard. O prazo para sanção termina já na quinta. Diante do silêncio do governador, a ONG Meu Rio fará uma ação hoje, no Largo da Carioca.
DISCURSO VIRA CASO DE POLÍCIA
Após discursar, ontem, no calçadão de Bangu, criticando Witzel e Bolsonaro, a estadual Mônica Francisco (PSOL) acabou na delegacia. Um homem exigiu que ela baixasse o tom. Mônica registrou boletim de ocorrência.
PICADINHO:
- A biblioteca comunitária Pequenalegria abre inscrições para oficinas de leitura pelo e-mail trupepequenalegria@gmail.com.
- Sexta, 15h, o Ibeu Tijuca 2 promoverá oficina gratuita de Origami e Kirigami para interessados a partir de 10 anos.
- Sábado e domingo, a 'Junta Local de Outono no LivMundi' acontece no Parque Lage, a partir de 9h. Gratuito.
SOBE - CRISTIANE - Atacante da seleção feminina é a primeira a marcar mais de um gol na mesma partida em três Copas diferentes. 
DESCE - DELTAN DALAGNOL - O Ministério Público vai apurar se o procurador da República cometeu "falta funcional" em mensagens com Sergio Moro.

Comentários