O governador Wilson Witzel e e presidente Jair Bolsonaro    - Estefan Radovicz / Agencia O Dia
O governador Wilson Witzel e e presidente Jair Bolsonaro Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Por CÁSSIO BRUNO
RIO - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) já pensa em lançar um candidato ao governo do Rio, em 2022. Ele quer atrapalhar os planos de Wilson Witzel (PSC). A estratégia ganhou força com a polêmica envolvendo seu nome no caso Marielle Franco. A relação dos dois políticos fi cou insustentável. O grupo bolsonarista declarou guerra. O presidente atribui a Witzel o vazamento da investigação à TV Globo. Em 2022, o governador do Rio pretende lançar o seu vice Cláudio Castro ao Palácio Guanabara caso consiga mesmo se viabilizar eleitoralmente para concorrer à Presidência.

WITZEL CONSEGUIU POLARIZAR CONFRONTO

Responsável ou não pelo vazamento, Wilson Witzel conseguiu protagonismo com a briga presidencial. Ele polarizou o confronto com Bolsonaro. Lugar até então ocupado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), outro que deverá disputar a eleição. Por outro lado, Witzel virou alvo da guerrilha virtual de aliados e simpatizantes da família Bolsonaro. No ano passado, Witzel se elegeu justamente com a ajuda desta turma. Ontem, o governador do Rio foi bombardeado nas redes sociais e hostilizado em visita ao interior do estado.

OS INIMIGOS COMUNS DE MARCELO CRIVELLA

O prefeito do Rio e sua coordenação de campanha à reeleição estão felizes da vida. A avaliação é de que Crivella (Republicanos) colou de vez a imagem em Bolsonaro mesmo sem o presidente declarar apoio público. Os dois, agora, têm inimigos comuns: Witzel e o Grupo Globo. E mais: o prefeito vibrou com a confusão na Linha Amarela. Acredita ter feito um golaço com o quebra-quebra das cabines de cobrança do pedágio, tendo apoio da população e até da oposição na Câmara.

NEM TODOS DO PSL COM O PRESIDENTE

Dos 12 deputados do PSL na Alerj, oito foram às redes sociais ou ao plenário declarar apoio a Bolsonaro. “Governador (Witzel), nenhum dos meus 106 mil votos dependeu do senhor. Mas os seus dependeram de mim, do PSL e de ficar grudado no cangote do (senador) Flavio (Bolsonaro)”, atacou Alana Passos . Os que não se mexeram foram Marcelo do Seu Dino, Gustavo Schmidt, Gil Vianna e Alexandre Knoploch.

VAZAMENTO SABIDO, TÁ OK?

Boa parte dos deputados estaduais e federais e assessores já sabia há pelo menos três semanas que Bolsonaro seria vinculado ao caso Marielle. Gente do PSC, de Witzel, além de PSD, Solidariedade e por aí vai.

O MEDO DO QUE ESTÁ POR VIR

Aliás... deputados que apoiam Witzel na Alerj estão tensos com a obsessão do governador em se eleger presidente. Principalmente, por retaliações de Bolsonaro que possam prejudicar o estado.

A PRISÃO DOS GAROTINHO 1

Inimigo do casal, o prefeito de Campos dos Goytacazes, Rafael Diniz (Cidadania), emprega o marido da testemunha que se disse ameaçada e levou os ex-governadores Garotinho e Rosinha de volta à prisão.

A PRISÃO DOS GAROTINHO 2

Marcos Antoine Fernandes de Sales está lotado no Instituto Municipal de Transportes, com salário de R$ 4.200. Ele é marido de Elizabeth Gonçalves dos Santos, conhecida como Beth Megafone, a testemunha.

DEBATE NA ASSEMBLEIA

Presidida por Dr.Serginho (PSL), a Comissão em Defesa dos Royalties do Petróleo faz audiência pública hoje, às 10h, na Alerj, para debater o tema.

PICADINHO

O festival gratuito ‘Assim Vivemos’ traz hoje, das 10h às 19h, filmes e debates sobre deficiência, no CCBB, no Centro.

Termina amanhã, às 18h, a ‘Semana da Animação’ no Centro Cultural Light, no Centro. O evento é gratuito.

O espaço Lagoon, na Lagoa, recebe o Circuito do Vinho a partir de amanhã até domingo. A entrada é franca.

SOBE

MARILSON DOS SANTOS

O atleta brasileiro e corredor será homenageado pela organização da Maratona de Nova York. Ele é bicampeão na prova.

DESCE

DIRETOR DO IPHAN

O diretor do instituto, Andrey Schlee, foi exonerado ontem pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra.