De olho em 2020, PDT e PSB escrevem programa de campanha para o Rio

Cotado para ser vice na chapa de Martha Rocha, Alessandro Molon (PSB) não descarta a possibilidade de chapa única com a sigla de Lupi, mas evita falar em nomes. A aliança servirá para 120 cidades brasileiras.

Por Maria Luisa de Melo

Alexandre Molon, Carlos Lupi e Martha Rocha em evento do PDT
Alexandre Molon, Carlos Lupi e Martha Rocha em evento do PDT -

Após Carlos Lupi, presidente do PDT, anunciar a aliança nacional entre sua sigla e o PSB, a Rede e o PV, parte do grupo já começou a escrever um programa de campanha para a cidade do Rio. O deputado federal Alessandro Molon (PSB), que participou do encontro, não descarta uma chapa única para tentar abocanhar a Prefeitura do Rio. Mas evita falar em nomes. Ele menciona também o PC do B, que ainda não faz parte, oficialmente, da aliança. "O que fizemos com PDT e PC do B foi um encontro para construir um programa. Listamos os principais problemas do Rio na gestão Crivella e tudo o que pode ser feito para melhorar", limitou-se.

 

SATURNINO BRAGA E BISCAIA SÃO REFORÇOS

O programa que começou a ser escrito pelo grupo terá como foco a mobilidade urbana, saúde e segurança pública. "Muita gente diz que segurança não é dever da prefeitura, mas a prefeitura pode contribuir nisso melhorando a iluminação pública", pontua. Questionado sobre formar uma chapa com Martha Rocha (PDT), ele desconversa. "Não teria problema em ser vice dela, mas ainda não é hora de falar em nomes", esquiva-se. Em processo de renovação, o PSB conta com dois novos filiados de peso: o ex-senador Saturnino Braga e o ex-procurador Antônio Carlos Biscaia.

 

EM CRISE, PSOL TEM 3º PRÉ-CANDIDATO

Os pré-candidatos à Prefeitura do Rio Renato Cinco e Vilmar. - Divulgação/Whatsapp

Não é só o PSL que vive crise interna. No PSOL, a coisa também não parece muito bem. Após as críticas do vereador Renato Cinco (PSOL) à aliança que seu colega, o deputado federal Marcelo Freixo está tentando com o PT, surgiu um terceiro nome para se pré-candidatar à Prefeitura pelo PSOL. Agora Renato Cinco não é a única candidatura alternativa e de protesto contra o que está sendo chamado de "mandonismo político de Freixo". Vilmar Torres, de 62 anos, diz que foi o primeiro a se candidatar e critica Freixo.

 

FALTA AGILIDADE, SOBRAM ROEDORES

Não é só se aposentar que ficou mais difícil nesse país. Receber atendimento nos postos do INSS do Rio também não é tarefa simples. Na Barra, a população que busca atendimento tem se deparado com ratos, que circulam à luz do dia.

 

SEM CONTRATO, SEM SOLUÇÃO

Um leitor da coluna conta que os roedores, veja só, não dominam só os corredores. Também invadem os balcões de atendimento. Ao questionar a administração, um funcionário ouviu que não há contrato de dedetização para resolver o problema.

 

CURSO DE POLÍTICA PARA INFRATORES

Um projeto que prevê curso de formação política, na Câmara de Vereadores, para adolescentes infratores foi apresentado esta semana. Inicialmente serão ofertadas 15 vagas para menores que cometeram delitos mais leves.

 

FALTA ADESÃO PARA EXPANDIR

A iniciativa, encabeçada pelo vereador Célio Luparelli e incentivada por Jorge Felippe, prevê curso com cinco módulos, somando 53 horas. Com o apoio do Ministério Público e da Defensoria, precisa do respaldo de outros gabinetes para expandir.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários