Presidente da Firjan faz desabafo e rebate adversários

Por Sidney Rezende

Presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira
Presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira -
A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro terá eleição em agosto. Os ânimos entre os empresários estão à flor da pele. Ao tomar conhecimento de maledicências que propagam que o presidente da Casa nas suas viagens internacionais opta por voar em primeira classe e que costuma se hospedar em hotéis seis estrelas de Paris, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira ficou indignado. Ele também não gostou de ser comparado, nos hábitos pessoais, ao ex-presidente da Fecomércio Orlando Diniz, que seria afeito a luxos. No testemunho abaixo, Eduardo Eugênio explicou as suas muito comentadas diferenças de pensamento diante das ações da presidência da CNI e dirigentes das regiões Norte e Nordeste.
"Essa gente inconformada quer levar lama para uma instituição limpa, com reputação ilibada. Comparar a Firjan à Fecomércio, onde seu presidente foi preso - e que seus atuais dirigentes faziam parte de sua chapa - é risível. Diniz é ladrão. Nada tenho contra os colegas do Nordeste. Robson (Andrade - CNI) tem horror a mim desde que fui nomeado pelo presidente da República presidente do Conselho Nacional do Sesi. E, por mais que me esforce, não consigo aprovar suas contas. Eu não preciso da Firjan. Me dedico há 25 anos pro bônus à sociedade do Rio por missão e obrigação moral. Trouxe para a Firjan minha formação na Ipiranga. Tenho orgulho de ter vendido uma empresa por US$ 4 bi. Na época, a maior transação desse tipo. Detalhe: sem due diligence (investigação) por parte dos compradores. Duvido que essa gente que me ataca consiga fazer algo parecido", desabafou.
E não parou por aí: "o presidente da CNI envia para minha mulher todos os anos, aniversário e Natal, presentes de grifes caras estrangeiras de luxo. Todos são devolvidas ao Sesi. Intactas. Considero isso feio! No limite da corrupção. Aceito crítica sobre gestão. Sobre minha honra, não admito! Nunca levaria acompanhante paga pela Firjan. Sempre que o fiz, eu paguei de meu bolso. Jamais fiz viagens pagas pela Firjan a não ser por interesse da instituição. Nunca!!!! Jamais debitei diárias que não fossem de dias trabalhados para a Firjan. Sempre viajei de executiva ou primeira classe. Muito antes de estar na Firjan. Viagens pagas por mim ou minhas empresas. A diretoria da Firjan aprovou há anos política de viagens para todos. Como em toda empresa civilizada. Não passou pela cabeça de ninguém que eu deveria viajar em turística não recebendo nada por meu trabalho. Viajo o mundo. Fico sempre nos mesmos hotéis. No de Paris, especificamente, há mais de 60 anos. Vou a Paris diversas vezes por ano. Temos negócios lá. Poucas por conta da Firjan. Ao ficar mais tempo, faço questão de pagar de meu bolso os dias adicionais. Nunca fiquei em hotéis 6 estrelas. E, ainda, meus antecessores no Conselho Nacional do Sesi eram remunerados. Eu não. Abri mão. Nossa base política interna na Firjan está absolutamente coesa. Temos apoios explícitos de 70% do eleitorado". 
Atualização: Vale aqui um registro adicional após a publicação da nota acima. Eduardo Eugênio esclarece: "Não tive intenção de estender ao atual presidente da Fecomércio que se elegeu como 1º vice-presidente naquela entidade, a crítica que dirigi ao ex-presidente. O comentário foi improcedente.”

PSOL quer eleições e impeachment de Witzel

2019-02-01 - Cerimonia de posse dos deputados estaduais do estado do Rio de Janeiro na ALERJ. Na imagem, o governador do estado Wilson Witzel ao lado do seu vice, Claudio Castro. Foto de Alexandre Brum / Agencia O Dia - CIDADE ELEICAO 2018 2019 POSSE DEPUTADOS ESTADO ESTADUAIS ASSEMBLEIA LEGISLATIVA RIO DE JANEIRO ALERJ MANDATO GESTAO - Alexandre Brum / Agência O Dia
A bancada do partido na Alerj atribui ao governador Wilson Witzel crimes de responsabilidade por ilegalidades nos contratos da saúde em plena pandemia, superfaturamento na compra de cestas básicas pela Fundação Leão XIII, incentivo a execuções sumárias pelas forças de segurança pública e atentado contra o livre exercício do Poder Legislativo. O pedido, até o momento, é o mais amplo em seu conteúdo e, se aprovado, implicará na cassação de Wilson Witzel. Um segmento forte dentro do partido pressiona para o pedido de afastamento definitivo também alcance o vice-governador, Cláudio Castro. Neste caso, pavimenta-se a convocação de novas eleições para o governo do estado. 

Pressão para Caxias manter isolamento

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) conseguiu decisão determinando que o prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, pague multa no valor de R$ 20 mil, a ser revertida para o fundo de proteção aos interesses difusos, previsto na Lei de Ação Civil Pública, por descumprir decisão judicial que determinou a manutenção das medidas de isolamento social no município até a apresentação de laudo técnico garantindo a ausência de risco para a população. A decisão, proibindo a administração municipal de flexibilizar o isolamento social através da reabertura do comércio local, foi proferida no bojo da Ação Civil Pública proposta pela Defensoria Pública do Estado do Rio, na qual a 2ª Promotoria de Justiça de Saúde da Região Metropolitana I colaborou ativamente. 

Ração para quem tem fome

Diante do aumento de abandono de animais, o vereador Luiz Carlos Ramos Filho apresentou projeto determinando a distribuição de ração para os bichinhos que vivem nas ruas, para abrigos que passam por dificuldades e tutores que foram afetados pela crise e não têm como alimentar seus animais. 

Água para todos

Ministério Público e da Defensoria Pública ganham recurso no Tribunal de Justiça para garantir fornecimento de água em todas as áreas do município do Rio de Janeiro, vedada a exclusão das comunidades carentes. 

PICADINHO

Sociedade Brasileira de Cardiologia lança ferramenta online, disponível no site da entidade, para ajudar pessoas a pararem de fumar.

Summit Rio-SP de Futebol Feminino vai debater desenvolvimento do esporte nos dias 3 e 4 de junho, de forma virtual e gratuita.

Projeto social Todos Contra a Fome entrega 160 cestas básicas para famílias que vivem em Jardim Gramacho. 

Comentários