Por ADRIANA CRUZ

Rio - Com corte de gastos e renegociação permanente dos contratos, o Tribunal de Justiça alcançou uma economia projetada de um total de R$ 221 milhões. Houve uma tesourada também nos cargos. Em tempos de cofres vazios, medidas de austeridade são muito necessárias.

Você pode gostar
Comentários