Caixa passa a oferecer, a partir do dia 19, crédito imobiliário pelo aplicativo - Freepik
Caixa passa a oferecer, a partir do dia 19, crédito imobiliário pelo aplicativoFreepik
Por Cristiane Campos
Publicado 15/10/2020 20:18 | Atualizado há 16 horas
O mercado recebeu de forma positiva as cinco medidas anunciadas ontem pela Caixa. O setor destacou a queda de juros como um dos pontos mais importantes. Isso porque mais de 500 famílias poderão ter acesso a compra da casa própria financiada. A partir do dia 22, os juros serão 6,25% e 8% ao ano mais a TR (Taxa Referencial) nos contratos assinados com recursos da poupança. "O impacto da redução é a inclusão de mais famílias com capacidade de renda para adquirir a casa própria recorrendo ao crédito imobiliário. Todas as medidas anunciadas são extremamente benéficas para o setor", afirma Cláudio Hermolin, presidente da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário). Para Lívia Rigueiral, CEO do aplicativo Homer, essa redução pode ser bastante positiva porque deixa o crédito imobiliário mais acessível, mais atraente e vantajoso aos consumidores ao colocar as taxas num patamar menor quando comparadas às praticadas no mercado.

De acordo com Alex Frachetta, CEO da plataforma Apto, a forte redução da Selic (taxa básica de juros) em 2020 (hoje, em 2% ao ano) começou a criar alternativas para que as taxas de crédito imobiliário fossem reduzidas, estimulando a competição entre os bancos. "Para as instituições financeiras maiores, um financiamento imobiliário dura em média nove anos, o que é um aspecto importante para os bancos porque ajuda na fidelização de clientes. A Caixa que tem um papel importante com sistema habitacional do Brasil vai sempre ter uma motivação extra para ter as menores taxas do mercado. Essa nova solução representa bem a vontade de ampliar o crédito imobiliário e diminuir o déficit habitacional no país", explica Frachetta.
Carência de seis meses prorrogada
Publicidade
Quem quiser comprar um imóvel poderá contar com a carência de seis meses. Isso porque o benefício foi prorrogado até dezembro. Na prática, os compradores vão pagar inicialmente seguros e a taxa de administração do contrato. Lembrando que os encargos durante a pausa de pagamento serão acrescidos no saldo devedor e diluídos ao longo do contrato que poderá chegar a 30 anos. "A renovação da carência de seis meses nos novos contratos é extremamente importante para o setor porque ajuda a manter o mercado imobiliário aquecido ao estimular as pessoas a comprarem imóveis, mesmo durante a pandemia, já que oferece a quem financiar o prazo de até seis meses para começar a pagar as parcelas", ressalta Lívia.
Prestação paga de forma parcial
Publicidade
O banco também vai facilitar a retomada do pagamento do empréstimo habitacional quando terminar a pausa de quem pediu a suspensão da dívida durante a pandemia. Será permitido pagar a prestação de forma parcial: entre 50% e 75% do valor da parcela mensal por até seis meses. O percentual dependerá do perfil do cliente. "Poder pagar parte do financiamento e postergar outra parte também é importante porque sabemos que hoje existe uma alta taxa de desemprego. Isso porque diversos setores e a indústria ainda sofrem com os efeitos da pandemia e esses efeitos ainda vão durar por um bom tempo. A prorrogação da carência ou mesmo o parcelamento dos pagamentos abrem a possibilidade das pessoas manterem seus financiamentos e, consequentemente, reduz a possibilidade de interrupção de pagamentos e distratos (retomada de unidades), que já foi um problema no passado do mercado", analisa. Para o profissional autônomo Fernando Oliveira, a novidade do abatimento na prestação chegou em boa hora. “A Caixa vem dando um grande apoio para quem tem um financiamento imobiliário e não está podendo arcar com o pagamento por causa da crise. Como sou autônomo, a pausa no pagamento da prestação veio em ótima hora, pois com as atividades paradas, meu rendimento também ficou prejudicado. Esta nova iniciativa de dar um desconto no valor da prestação por três meses também é muito positiva e tenho certeza de que vai beneficiar muitas pessoas. Eu já estou em contato com a minha agência para saber como proceder”, conta Oliveira.
Financiamento à produção
Publicidade
As novidades foram anunciadas no mês em que a Caixa bate o recorde histórico de R$ 500 bilhões em empréstimos habitacionais, consolidando a liderança na concessão de financiamento para casa própria no país, com 69% de participação de mercado. "Vale lembrar que a Caixa sempre foi líder na concessão do crédito. Na pessoa física, ela foi durante muitos anos líder isolada e durante alguns anos ela perdeu esse market share com a entrada acirrada de outros bancos. Agora, a Caixa parece que está retomando esse protagonismo, essa liderança. E começa também a despontar como um player relevante no financiamento à produção que não era historicamente uma força da Caixa", comenta o presidente da Ademi-RJ.
Feira online ainda este ano
Publicidade
Outra novidade é que o tradicional feirão da instituição será feito em formato online este ano. O banco está fazendo os ajustes finais para anunciar o evento virtual de compra de imóveis em que vai reunir várias ofertas com condições ainda mais vantajosas. "O feirão sempre foi um evento liderado pela Caixa no mercado. E mesmo no formato online vai fazer com que possamos ganhar uma alavanca de oportunidade para acelerar as vendas neste último trimestre do ano", lembra Hermolin.
Resumo do pacote de benefícios
Publicidade
O novo pacote de ações, de acordo com a Caixa, poderá impactar 830 mil famílias, correspondendo a R$ 83 bilhões em recursos entre novos negócios e negociação de contratos ativos. Confira as medidas:

Redução de taxas: 6,25% a 8% mais TR (Taxa Referencial) nos contratos da caderneta de poupança. Novos juros a partir de 22 de outubro.

Prorrogação da carência: pausa de até seis meses no contrato poderão ser solicitadas até dezembro.

Pagamento parcial da prestação: 50% a 75% da prestação na retomada da pausa. Percentual vai depender do perfil do mutuário.

Feiras online da Casa Própria: o tradicional feirão passa a se chamar feira e será virtual por conta do coronavírus.

Crédito habitacional 100% digital: o interessado poderá comprar o imóvel por meio do aplicativo Caixa Habitação a partir do dia 19 de outubro.