Por

O decreto de Crivella regulamenta o abono-permanência dos servidores que já completaram o tempo para se aposentar, mas decidiram ficar na ativa. Com isso, 9.500 funcionários terão que pagar contribuição. Também acaba com a integralidade de 9 mil inativos que não tiveram benefícios previdenciários homologados pelo TCM. E o projeto que está na Câmara cria pensão vitalícia a eles para compensar essas perdas.

 

Você pode gostar
Comentários