Após incerteza de salário de maio, servidores municipais voltam a cobrar depósito no 2º dia útil

Movimento unificado pede retomada de calendário antigo de depósitos; vencimentos de maio serão quitados nesta quinta

Por

Prefeitura do Rio de Janeiro -

Rio - O salário de maio dos servidores ativos, aposentados e pensionistas do Município do Rio será pago nesta quinta-feira, ou seja, no quinto dia útil, que é o prazo estipulado em calendário oficial do Executivo. A prefeitura divulgou nesta quarta-feira que o depósito será feito, após muita espera e questionamentos dos servidores. Conforme a Coluna informou no último sábado, desta vez, a não antecipação do crédito já era esperada.

No entanto, a demora na confirmação da data do pagamento por parte do governo deixou as categorias apreensivas, e houve inclusive receio de atraso salarial. Diante disso, o Movimento Unificado dos Servidores Municipais (Mudspm) voltou a cobrar a retomada do calendário antigo.

"A falta de uma informação oficial esse tempo todo deixou o funcionalismo preocupado. As pessoas ficam nervosas, pois todo mundo tem contas para pagar. Pagamento de salário não é favor, é uma obrigação. Por isso também pedimos a retomada do calendário até o segundo dia útil do mês", declarou uma das integrantes do Movimento Unificado dos Servidores Municipais (Mudspm) e do Sindicato dos Profissionais de Educação (Sepe), Marta Moraes.

Em dezembro de 2017, o prefeito Marcelo Crivella editou decreto postergando o prazo de pagamento dos salários de janeiro a junho de 2018. Antes, a data limite para o depósito era o segundo dia útil, e ele alterou para o quinto dia útil. Ainda assim, desde janeiro o município estava pagando os vencimentos dos servidores antes das datas previstas, o que não foi viável desta vez.

 

DE PROFESSORES

Em assembleia ontem, professores da Educação municipal do Rio decidiram por fazer nova paralisação em 8 de agosto. A categoria cobra negociação do governo para os seguintes pleitos: um terço da carga horária para o planejamento de aulas, reajuste, e retomada do calendário antigo de pagamentos. Os educadores também pedem convocação de merendeiras e ameaçam entrar em greve.

ESTÁ PERTO

Além da retomada do pagamento no segundo dia útil, a derrubada do projeto que taxa inativos é outra reivindicação das categorias do Município do Rio. A previsão é de a proposta ser votada nas próximas semanas, já que a base pede que seja antes do recesso - que começará em julho. Diante da proximidade da sessão na Câmara, o movimento se articula para pressionar os vereadores.

Comentários

Últimas de Servidor