Papiloscopistas: nomeações pelo estado podem ser por grupos

Os 96 aprovados em concurso que já fizeram Acadepol aguardam as publicações no DO

Por PALOMA SAVEDRA

Acadepol
Acadepol -

Rio - Ainda está em análise pelo governo fluminense as nomeações de 96 papiloscopistas que se formaram em 2016 no curso da Academia Estadual de Polícia Sylvio Terra (Acadepol). Havia expectativa de que as publicações no Diário Oficial ocorreriam junto com as convocações dos 1.380 policiais militares, feitas no início deste mês, mas acabou não se concretizando.

A equipe do Palácio Guanabara avalia as questões jurídicas que envolvem as nomeações, principalmente devido ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do Rio. Fontes indicam ainda a possibilidade de as contratações ocorrerem em grupos, ou seja, de nem todos os 96 aprovados (e formados) serem chamados de uma vez.

Enquanto isso, os concursados seguem à espera das nomeações. Eles reclamam da falta de informações e contam que, ao fim do curso, chegaram a abrir conta-corrente especialmente para receberem os salários do estado.

Segurança é prioridade

Nos bastidores, o que se fala é sobre a prioridade em reforçar a Segurança Pública do estado. Diante disso, todos os estudos são para tentar viabilizar as convocações e não deixar 'furos' jurídicos que levem o Conselho de Supervisão da recuperação fiscal a vetar as medidas tomadas pelo governo.

Reforço de pessoal

A intenção do governo do Rio em reforçar o efetivo da Segurança, aliás, foi confirmada com a convocação, no início de julho, dos 1.380 candidatos aprovados em concurso para a Polícia Militar. Eles farão o Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap), em Sulacap. Após a conclusão do curso de formação, em 2019, todos já estarão atuando em diversas regiões do estado.

Convocação de PMs da reserva 

Saiu ontem no Diário Oficial do Estado do Rio um ato do secretário de Segurança, general Richard Nunes, convocando 11 policiais militares da reserva remunerada para voltar à ativa. Desse total, sete foram chamados para atuar no projeto 'Niterói Mais Segura'; três no 'Segurança Presente'; e um na 'Operação Barreira Fiscal'. Os detalhes, como nomes e patentes dos militares, estão na publicação.

Cargos vagos podem ser repostos

O Plano de Recuperação Fiscal do Rio permite que o estado faça nomeações de servidores para repor cargos vagos por morte e aposentadoria nas áreas de Segurança, Saúde e Educação, como a Coluna informou em 27 de maio. As vacâncias são contadas a partir da adesão do Estado do Rio ao regime fiscal, que ocorreu em setembro de 2017.

Comentários

Últimas de Servidor