- Maíra Coelho / Agência O Dia
Maíra Coelho / Agência O Dia
Por PALOMA SAVEDRA

O governo estadual aguarda o resultado do segundo turno para definir diversas ações que ainda poderão ser implementadas. Isso inclui a decisão sobre a possibilidade do fim do Regime Adicional de Serviço (RAS) compulsório. A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou a medida no último dia 18, mas o texto ainda precisa de sanção do governador Luiz Fernando Pezão.

Autor do projeto, deputado Paulo Ramos (PDT) ainda tenta marcar reunião com Pezão, junto com o presidente em exercício da Alerj, André Ceciliano (PT). Ramos diz que acredita na sanção por haver desgaste entre agentes de Segurança.

O projeto acaba com a hora extra obrigatória para a Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. A proposta também estabelece que o RAS só será compulsório quando houver grandes eventos e em casos de calamidade pública não financeira desde que remunerados. Além disso, o texto anistia militares que foram punidos por não terem cumprido o regime compulsoriamente.

Ramos critica a obrigatoriedade do regime adicional, que muitas vezes leva o PM a fazer longos deslocamentos para trabalhar na folga mesmo sem o pagamento em dia.

Prioridade

A Alerj também aprovou ontem, em primeira discussão, proposta de Eliomar Coelho (PSol) para que o funcionalismo receba o salário, inclusive o 13º, antes do governador e secretários. Emenda de Luiz Paulo (PSDB) incluiu os outros Poderes. "Os servidores são massacrados. Ficaram meses sem receber e estão sem reajuste há quatro anos. Por isso, temos que garantir que essa medida", disse Eliomar.

Museu Nacional

A Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia e a Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio (Faperj) lançaram edital em apoio a pesquisadores vinculados ao Museu Nacional. O prazo para a submissão de propostas via internet (https://sisfaperj.faperj.br/sisfaperj/) vai até 23 de novembro. Os resultados serão a partir de 13 de dezembro.

Na prefeitura

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil da Prefeitura do Rio segue com o programa de capacitação de servidores municipais em prevenção de combate à incêndio. Hoje a ação chega a 30 profissionais da Saúde, com aulas na sede do órgão, em Vila Isabel, na Zona Norte, onde os alunos vão ter que demonstrar o que aprenderam. Com mais essa turma, serão 342 os contemplados com a qualificação.

Você pode gostar
Comentários