Município do Rio planeja conceder reajuste no salário de janeiro de 2019

Aumento será de mais de 8%; se confirmar a previsão, pagamento sairá em fevereiro, quando a folha do mês anterior é quitada

Por PALOMA SAVEDRA

Messina não cravou data da reposição, mas indicou possibilidade de ocorrer no início do próximo ano
Messina não cravou data da reposição, mas indicou possibilidade de ocorrer no início do próximo ano -

O reajuste salarial de todo o funcionalismo do Município do Rio não saiu do papel este ano, e, agora, a prefeitura planeja concedê-lo na folha de janeiro de 2019, paga em fevereiro. Pelos cálculos já feitos, o aumento será superior a 8% — devido ao percentual acumulado de pouco mais de dois anos que os servidores não tiveram revisão de suas remunerações. A informação foi confirmada à Coluna pelo secretário da Casa Civil, Paulo Messina.

Perguntado sobre os motivos de o reajuste não ser pago agora — no salário de dezembro —, Messina argumentou que o Executivo está correndo atrás dos recursos para quitar a segunda parcela do 13º salário de 2018 no próximo dia 20. Vale lembrar que a revisão salarial abrangerá ativos, aposentados e pensionistas.

"Não é possível em dezembro porque ainda estamos correndo atrás de medidas para garantir a receita da segunda parcela do 13º. Ao todo (somando as duas cotas), é uma folha de R$ 800 milhões. Se a gente reajusta (salários) agora, vai gerar uma despesa de quase R$ 70 milhões a mais, o que provavelmente comprometeria o pagamento da gratificação", declarou. "Estamos trabalhando para que o prefeito possa anunciar o reajuste na folha de janeiro", complementou.

Contrato esta semana

Para quitar o abono, a prefeitura contará com cerca de R$ 300 milhões de antecipação de royalties de petróleo em operação com o Banco Santander, cujo contrato deve ser assinado esta semana. E são necessários ainda mais R$ 40 milhões provenientes de outras fontes de receitas. 

Cálculo inicial era de reajuste de 7%

Como a prefeitura projetava o reajuste para o fim deste ano, o índice calculado foi de 7,61%. Mas como o aumento ficou para 2019, o percentual também mudou, e, segundo Messina, o aumento passará de 8%.

Comentários

Últimas de Servidor